CENÁRIO GLOBAL, entenda o impasse em torno do desaparecimento de Jamal KhashoggI e da crise da lira turca

Jamal Khashoggi é, ou era, um jornalista saudita que escrevia para o Washington Post.  Ele desapareceu na Turquia após permanecer algum tempo na Embaixada da Arábia Saudita.   Veja, o leitor, em quanto ficou turvo o cenário internacional a partir desse fato.   

Nesse post eu procuro organizar as informações para tornar fácil a compreensão dos acontecimentos recentes entre turcos e norte-americanos.

Eis a sequência dos fatos:

Em 10 de agosto próximo passado Donald Trump ameaçou a Turquia em dobrar as tarifas sobre aço e alumínio como reação à prisão do pastor norte-americano Andrew Brunson, que o governo de Ancara acusava de ter apoiado a tentativa de golpe de 2016.

A Turquia já vivenciava uma crise cambial, materializada em uma desvalorização da moeda da ordem de 10% até o dia 9 de agosto.

A ameaça de Trump levou a lira a uma nova queda abrupta de 14,6% somente naquela sexta-feira, com consequências sobre diversas moedas de países emergentes.

As relações entre o presidente Recep Tayyip Erdogan e a Casa Branca ficaram estremecidas desde então.

No dia 2 de outubro houve o desaparecimento de Jamal Khashoggi, jornalista saudita que escrevia para o jornal Washington Post, na embaixada da Arábia Saudita em Ancara, na Turquia.

No dia seguinte, Donald trump fez sérias ameaças à Arábia Saudita, segunda maior fornecedora de petróleo para os Estados Unidos.

Na Turquia, Erdogan prontificou-se em esclarecer o fato denunciado por Trump iniciando uma fase de investigações sobre o ocorrido.

Em Ancara, Erdogan libertou o pastor Andrew Brunson e em Washigton o presidente Trump se disse emocionado pela decisão do presidente turco.

Mike Pompeo, secretário de Estado dos EUA, viajou a Turquia e se reuniu com o rei Salman e com o principe herdeiro Mohhamed bin Salman.

Na Turquia Erdogan buscou identificar a presença de gases tóxicos na embaixada da Arábia Saudita que levariam à prova da morte de Khashoggi.

Ontem eu percebi que Donald Trump começou a mudar o discurso com relação às acusações contra os sauditas pelo desaparecimento do jornalista.

Hoje, a edição eletrônica do jornal New York Times informou que Erdogan identificou quatro suspeitos pela realização do feito.

O jornal publicou uma fotografia em que aparecem o principe herdeiro saudita e um dos suspeitos pelo desaparecimento de Khashoggi.

É isso aí. A qualquer momento, novas informações sobre o jornalista saudita e sobre o momento da crise da lira turca.

FOTO ABAIXO:  Mercado Público, Centro Histórico de Porto Alegre, outubro de 2018

BRASIL, bom dia leitor do blog em 17.10.2018

PRIMAVERA

São 03h47 em Porto Alegre, Brasil.  Ainda não amanheceu na capital do Estado do Rio Grande do Sul.  A tempertura atual é de 29 graus, a umidade é de 94% e há vento de 7 km/h.   O site do Climatempo prevê para hoje “sol com aumento de nuvens ao longo do dia.   À noite ocorrem pancadas de chuva”.  A temperatura máxima alcançará os 32 graus às 12h00.  Para amanhã a previsão é de “sol com muitas nuvens durante o dia. Períodos de nublado, com chuva a qualquer hora”.   A temperatura oscilará entre 20 e 28 graus.

POLÍTICA

A terça-feira ficou marcada pelo indiciamento do Presidente Temer por corrupção passiva.  Segundo o noticiário de ontem à noite, o Presidente teria usado empresas de um amigo para beneficiar o setor portuário e receber propinas para tanto.

Das informações que tomei conhecimento ao longo do dia de ontem, a que me pareceu a mais importante foi a queda da rejeição do candidato Jair Bolsonaro no Nordeste, de 61% em levantamento realizado nos dias 5 e 6 de outurbro para 49%, em levantamento realizado nods dias 13 e 14 do corrente mês.

Nessa terça-feira eu assisti ao debate entre os dois candidatos ao governo do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori e Eduardo Leite.  Houve alguns momentos mais tensos, mas o fato de ambos pertencerem, até recentemente, à mesma base do governo, tornou o ambiente de maior respeito entre as partes.  O foco esteve bastante centrado na gestão do caixa do Estado, com ênfase nas despesas com Educação, Saúde e Segurança. 

Houve algumas incursões em outros temas, como foi o caso das necessidades de investimentos em infraestrutura, mas eu creio que a presença do governo local no Pacto de Recuperação Fiscal ocupou bastante tempo do debate. José Ivo Sartori defendeu a gestão do seu governo e Eduardo Leite procurou mostrar a diferença entre a política do governador no início da gestão e a posição recente do governo gaúcho.  

ECONOMIA

Lá fora, Donald Trump continua batendo forte contra Jerome Powell, indicação do próprio presidente dos EUA para o comando do FED, o Sistema de Reserva Federal.  Trump não quer a elevação dos juros porque deseja que a economia continue navengando em águas serenas em cenário de crescimento econômico com pleno emprego; Powell, guardião da moeda, deseja que a economia continue navengado em águas serenas em cenário de estabilidade econômica.  Vem muito tuíte por aí.

De acordo com o Banco Mundial o Brasil ocupa a oitava colocação no ranking das maiores economias do mundo em 2018.  De acordo com a Organização das Nações Unidas o Brasil ocupa a septuagésima nona colocação no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano.  Bolsonaro deve estar de olho na classificação do Banco Mundial; Haddad, na classificação da Organização das Nações Unidas.

A preferência do eleitor brasileiro, no primeiro turno, por candidatos dos extremos em detrimentos de políticos do centro deve estar contribuindo para a incerteza que cerca a economia brasileira atualmente.

Foi uma terça-feira em que o Ibovespa fechou em 85 mil pontos, com valorização de 2,83%, e o dólar comercial encerrou o dia em R$ 3,720. registrando uma queda de -0,37%.  Na bolsa, após a queda de 40% nas ações da Smile na segunda feira, ontem houve uma reversão de expectativas e as ações da Smile se valorizaram em 8,2%, além do avanço de 12,85% nas ações da Gol.

INTERNACIONAL

A população mundial de idosos, com mais de 60 anos, que representava 7% do total em 1950 deve avançar até 23% do total em 2050, conforme a revisão de 2017 da World Population Prospects.

Mike Pompeo, o secretário de Estado dos EUA, está na Arábia Saudita procurando elucidar o desaparecimento de Jamal Khashoggi, jornalista saudita desaparecido na Turquia e que é correspondente do Washington Post no Exterior.   O secretário de Estado esteve com o rei Salman e, depois, com Mohammed bin Salman, o principe herdeiro porque a morte poderia ter ocorrido na embaixada saudita em Ancara. 

Na Turquia, o presidente Erdogan afirmou que as autoridades locais estão procurando encontrar a presença de gases tóxicos na embaixada saudita, local onde o jornalista foi mantido por algum tempo.   Em breve, Donald Trump, dividido entre a palavra do rei e as provas da Turquia, deve tuitar e ros fatos ocorridos em torno do que aconteceu com Khashoggi, efetivamente, na semana passada.

Ontem eu escrevi sobre a estada de Li Keqiang, primeiro Ministro da China, na Holanda para o encontro com o primeiro Ministro dos Países Baixos, e hoje ele chegou à Bélgica para participar da 12a reunião de cúpula da Associação Ásia-Europa.

Essa manhã eu li no jornal Expansion.com que em Portugal, O DIA suspendeu as atividades do diretor corporativo e de serviço e responsável pelo setor financeiro do grupo.  A empresa em que 29% do capital pertence a Mikhail Fridman teve o seu valor reduzido em 83% ao longo da gestão do magnata russo.

ESPORTES

O Brasil venceu a Argentina por um a zero na cidade de Jedá.  Uma vitória pouco convincente porque o gol ocorreu em cabeçada do zagueiro Miranda, resultado de um escanteio cobrado no tempo dos descontos do jogo.  Arthur fez uma grande partida, Coitinho esteve irreconhecível na minha percepção e Nilmar teve o mérito de ter cobrado o escanteio que resultou no gol brasileiro.

Os argentinos estiveram melhores em boa parte do segundo tempo.  É difícil fazer qualquer avaliação conclusiva do desempenho dos atletas brasileiros porque Tite recém está retomando a gestão do time em campo.  Sem treino e com algumas mudanças que a frustrada participação na Copa da Rússia recomendava que o técnico implementasse nesse final de ano.

À noite houve uma grande frustração da torcida do Brasil de Pelotas que foi derrotado em casa pelo Atlético de Goiaás pelo placar de 2 a 1.  É preciso registrar que não faltou empenho dos atletas do Xavante ao longo do jogo.  Eu acredito que na última quarta parte da partida, os adversários mostram melhor desempenho quando o Brasil joga em casa.  Ele saiu ganhando mas tomou a virada em dois lances em cima da marcação do lateral esquerdo do time rubro-negro.   O técnico fez o que pode. 

Talvez o problema do Xavante esteja associado a um plantel reduzido com poucas opções de banco, quem sabe alguns jogadores já são um tanto veteranos, mas a derrota vem sempre nos detalhes do empenho do time adversário.  Agora é preciso esperar pelo próximo jogo, mas o campeonato se aproxima rapidamente do seu final e a derrota de ontem manteve o Brasil muito próximo dos últimos colocados na tabela.  Ele ainda tem uma folga mínima, porém ela pode ser absorvida na próxima rodada.

Corinthians e Cruzeiro decidem a Copa do Brasil na Arena, em São Paulo. Para Mano, a vitória do time de Minas será uma rotina; para Jair, o caos.  O Corinthians está a perigo na primeira divisão do futebol brasileiro.

Bom dia leitor do blog!

FOTO ABAIXO: Esquina Democrática, Centro Histórico de Porto Alegre, imagem da época da eleição em primeiro turno.

 

BRASIL, bom dia leitor do blog em 16.10.2018

PRIMAVERA

Estã amanhecendo em Porto Alegre, Brasil.  Agora são 05h45 no horário de Brasília, a temperatura é de 16 graus, a umidade de 94% e há vento de 7 km/h.  Um dia de sol com muitas nuvens, mas sem chuva.  De acordo com o site do Climatempo a temperatura máxima alcançará os 29 graus.  Para a quarta-feira a previsão é de aumento de nuvens pela manhã e pancadas de chuva à tarde e à noite com temperatura máxima de 31 graus.

POLITICA

Divulgada a nova pesquisa do Ibope e Bolsonaro se mantém à frente de Haddad com escore de 59% a 41 %.  Pouca mudança sobre os momentos anteriores.  A cada pesquisa parece que começa a se consolidar o ambiente político correspondente ao segundo turno. 

Em termos de rejeição, Haddad tem 47% e Bolsonaro 35%.  Em termos regionais, Haddad se mantém à frente de Bolsonaro somente no Nordeste do país.  Uma continuidade do quadro vigente no primeiro turno.

Anteriormente Bolsonaro havia citado três nomes para o seu ministério; ontem foi a vez de Haddad fazer referência à figura de Mario Sérgio Costella como o seu preferido para a pasta da Educação.

Aqui no Rio Grande do Sul,  há um debate programado para hoje pela manhã, na rádio Gaúcha, entre os candidatos ao Piratini, o governador José Ivo Sartori e o ex-prefeito Eduardo Leite.

ECONOMIA

Ontem Haddad prometeu reformas que gerarão dois milhões de empregos por ano.  Para tanto ele pretende reverter o teto dos gastos e implementar duas reformas, a bancária e a tributária.

O mercado financeiro continua atento às pautas e aos discursos do candidatos.   Ontem o dólar recuou -1,25% e encerrou o pregão em R$ 3,7312.  Na série histórica o dólar vem recuando desde 13 de setembro quando alcançou o patamar de R$ 4,1952. 

Essa mudança de nivel que se constata nos últimos 33 dias deve estar associada aos resultados das pesquisas eleitorais e reforçada pelos números alcançados no pleito de 7 de outubro. Afora toda influência advinda do cenário externo.

Paralelamente, o Ibovespa fechou em 83.359 pontos com avanço de 0,53%.   Desde a realização das eleições em primeiro turno, a bolsa parece surfar nos mesmos patamares vigentes entre meados de março e meados de maio do corrente ano. 

Provavelment, o que se verifica é que há uma pausa no meio de muita incerteza.

INTERNACIONAL

Repercute na mídia internacional a presença de cama de casal no vôo intercontinetal SQ22  da Singapore Airlines que ligou Singapura a Nova Jersey em 17 horas e 25 minutos. É interessante destacar também que a rota do vôo teve início em Singapura, alcançou os EUA no Alasca, atravessou o Canadá, e pousou no Liberty Airport de Newark.

Nos EUA, o presidente direciona o seu discurso contra as autoridades sauditas à medida que circula a informação que Jamal Khashoggi, o jornalista do Washington Post, veio a falecer depois do interrogatório a que foi submetido na embaixada saudita na Turquia.  A propósito, a Arábia Saudita é a segunda fornecedora de petróleo dos Estados Unidos.

Em contraoposição às iniciativas de Donad Trump condenando a globalização, os primeiros ministros Mark Rutte da Holanda e Li Keqiang da China firmaram acordo numa entrevista coletiva realizada ontem, em The Hague, promovendo o livre comércio e rejeitando o protecionismo.

Na Espanha, a ação de O DIA volta a recuar em até 17% na bolsa nessa manhã de terça-feira após a queda de 42% na segunda-feira.  Segundo a imprensa espanhola, nesse momento a ação está cotada abaixo de um euro.

ESPORTES

Hoje tem Brasil em campo.  A partida contra a Argentina será realizada em Jedá, na Arábia Saudita.  Depois do fracasso na Copa do Mundo e da inexpressiva vitória contra os sauditas, o técnico Tite parece viver uma fase oposta àquela que o levou à Rússia. 

Não sei se ele terá fôlego para prosseguir nessa atividade tão desgastante, sem possibilidade de realizar grandes mudanças, sempre em busca de novos jogadores para serem testados e há quatro anos da realização do seu próximo objetivo. 

Para um técnico vencedor e muito ativo o caminho de técnico deveria passar por um período como técnico na Europa e mais tarde, bem mais tarde, retomar à seleção brasileira.  Atualmente eu sinto que Tite é mero coadjuvante na gestão do futebol nacional.   Eu creio que ele tem pouco a esperar por mudanças que o beneficiem no curto prazo.   Por que?

Porque (i) o time não foi vencedor na última copa, (ii) a fase dos atletas é muito mais de uma transferência bem sucedida financeiramente para o Exterior do que esperar convocação para a seleção e (iii) os clubes permanecem espremidos no calendário da CBF.  E, sem esquecer que (iv) o Tite convoca um atleta que joga no Brasil e os clubes reclamam que serão prejudicados na disputa do Brasileirão.

Aqui no Estado, o Inter vive um grande momento após a vitória sobre o São Paulo.  Precisa mostrar fora do Beira Rio que tem fôlego para chegar à frente no final do Brasileirão.  O Grêmio vive um momento de certa intranquilidade com o plantel repleto de baixas para enfrentar o River Plate na Argentina.  É a gangorra do futebol gaúcho.

Bom dia leitor do blog!

FOTO ABAIXO: Avenida Borges de Medeiros, Centro Histórico de Porto Alegre, outubro de 2018

.

EUA, Donald Trump agradece a Recep Tayyip Endorgan em manifestação rápida frente às câmeras de televisão

Eu assistia uma análise sobre o comportamento da ações das empresas de tecnologia quando, abruptamente, surgiu a imagem do presidente Donald Trump, com um guarda chuva em punho, soltando o verbo. 

São tantas formas como eu capto as informações que em dado momento eu lembro que o único recurso que me sobrava para ficar com a matéria na mesa era fotografar a imagem da televisão, assim eu procedi e a medida me foi extremamente útil.

Para quem trabalha com volumes gigantescos de informações é incrível a semelhança entre captar uma informação e pescar um lambari.   

Até os doze ou treze anos eu ia com familiares de amigos meus ao interior do Uruguai para pescar.  O ritual era algo fantástico, a espera um teste de paciência.  A mesma coisa ocorre com o acesso a uma informação. 

Eu não tomo conhecimento porque disponho de um sistema que me dá o dado como num passe de mágica.  Eu trabalho com diversas fontes e elas se manifestam das mais diversas formas. 

De repente eis que surge Donald Trump à minha frente e o que ele disse pode, ou não, gerar uma análise dependendo da oportunidade para tanto.

A pouco eu me encontrava no site da Comissão Europeia realizando uma consulta, a televisão despejando imagens à minha frente, o som estava baixo e eis que surgiu Donald Trump à minha frente.

Vestido a caráter, japona escura, camisada lavada a OMO, sem a gravata azul da cor da camiseta do Grêmio que é parte da sua vestimenta, e aquele chumaço de cabelo flutuando à sua cabeça.  Imagino que ele ia viajar porque estava sem gravata.

E, aí, com esse pano de fundo, eu penso que Trump quiz fazer um afago em Erdorgan.  O presidente se disse emocionado frente às câmeras de televião.  Ele afirmou que era extremamente grato ao governo turco pela libertação de Brunson, o pastor Andrew, que era mantido detido a dois anos.

Quem sabe a atitude de Erdorgan venha a ter algum efeito sobre a crise da lira turca.  Acho pouco provável, mas quando é Trump que está da outro lado da linha tudo pode acontecer. 

Se isso vier a acontecer, o peso argentino e o real brasileiro agradecerão e a instabilidade na Síria e no Irã poderão permanecer em standby.

É esperar para confirmar.

FOTO ABAIXO:  Mercado Público de Porto Alegre, outubro de 2018

 

 

BRASIL, bom dia leitor do blog em 15.10.2108

PRIMAVERA

Agora são 04h35 em Porto Alegre, Brasil, e o dia ainda não amanheceu por aqui.  Acesso ao site do Climatempo e percebo que a segunda-feira será de sol com muitas nuvens, mas sem chuva. 

A temperatura atual é de 17 graus, a umidade é de 83% e há vento de 10 km/h.  A temperatura máxima alcançará os 26 graus às 14 horas.   A previsão para amanhã é semelhante a de hoje, mas a temperatura chegará aos 28 graus.

POLÍTICA

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso parece que voltou a entrar em cena. Ele afirmou que o candidato Jair Bolsonaro representa tudo o que ele não gosta. 

O sociólgo sempre teve uma presença marcante no âmbito acadêmico, mas no plano político eu considero que FHC ganhou notoriedade quando fez o pacto político com o PFL para encerrar o período autoritário no Brasil. 

Ele seria o líder do Presidente Tancredo Neves que veio a falecer antes da posse.   Mantido por Sarney na liderança da aliança PFL/MDB, ambos divergiram publicamente quando o presidente optou pelo apoio do Centrão e obteve o quinto ano de governo.   

Fernando deixou de ser o líder do governo Sarney e mais tarde veio criar o PSDB para o qual convergiram os partidários do grupo conhecido como os autênticos do MDB.  Foi uma jogada importante no cenário nacional.

Pois FHC está de volta, ou procura estar de volta, ao cenário político.  Contudo ele está idoso e eu acredito que ele não tem condições de manter o mesmo protagonismo do passado.  Carioca e filho do general Leônidas Cardoso, ele é de 1931 e já está com 87 anos.

Quanto a Haddad, FHC afirmou que há uma porta fechada entre ambos.  A resposta do tocaio foi imediata.  Ontem, Fernando Haddad disse que Fernando Henrique deveria destravar a porta em nome da democracia. 

E assim é o Brasil de 2018, cruzando o caminho do Brasil de 1974.  Há pedras espalhadas pela estrada que não permitem que os atores políticos se aproximem instantaneamente. 

As desavenças entre os dois Fernandos se enraizaram na História recente do país.   Contudo, o mundo conectado contribui para que as celebridades se manifestem livremente sobre o que pensam.

O certo é que o Fernando de hoje, nas eleições recentes, paga o preço pelo episódio de Curitiba enquanto o Fernando de ontem, nas eleições recentes, paga o preço pelo episódio da fragilidade do seu partido.

ECONOMIA

É segunda-feira.  O mercado financeiro está ligadíssimo enquanto a população dorme.  Afinal, ainda não são cinco horas da manhã.  O mercado financeiro sinalizará a sua vontade à medida que a população acordar e manifestar a sua vontade via pesquisas de opinião.

A não ser que haja alguma mudança brusca do que aconteceu no dia 07 de outubro, o espaço para a volatilidade se torna estreito no mercado do câmbio.   

Em outras ocasiões o resultado do primeiro turno sinalizava as oportunidades de alianças políticas para o segundo turno.  Dessa vez, o placar do primeiro turno foi tão surpreendente que eu não percebo, até o momento, uma possibilidade de virada de jogo.

O fato concreto é que muitas vezes a política deixa o analista abismado.  O fato concreto é que muitas vezes a história, a sociologia do passado, deixa o analista pasmado.   O fato concreto é que muitas vezes a meteorologia que anunciava bom tempo, deixa o analista espantado com a presença de um temporal.   E tudo pode mudar em meio a um piscar de olhos.

É segunda-feira. O mercado financeiro está ligadíssimo enquanto eu estou acordado.  O mercado financeiro poderá ainda se apegar em possível movimento originado no Exterior. 

A Ásia está convivendo com a tarde, a Europa olha atento ao meio-dia que chega nas próximas horas, mas o S&P 500 e a sua corte, formada pelo Dow e Nasdaq, tem até o fim do dia no horário de Brasilia para dar o tom à orquestra.  E sabe lá, e se o maestro vier a público, via twitter, e jogar mais lenha na fogueira?  

Puxa, que maestro os norte-americanos colocaram na Casa Branca, que maestro os norte-americanos nos impuseram nesse quinquênio, que maestro sairá das urnas do pleito de meio termo no mês que vem.

O que é certo é que o mercado financeiro está atento a tudo e a todos.  Qualquer movimento de quem quer que seja ele registra. 

Eu estou ligado hora a hora no que acontece em Wall Street e sou surpreendido minuto a minuto como eu não percebi o detalhe do detalhe do que está acontecendo em Wall Street.   Por tudo isso eu rio sozinho,segundo a segundo, com as surpresas que os modelos matemáticos me apresentam em uma simples imagem originada no mercado de capitais lá de fora e projetada no televisor aqui de dentro.

INTERNACIONAL

Embora tudo o que eu perceba em sentido contrário, Donald Trump me parece Fênix.  O pássaro da mitologia grega já passou os trezentos anos e parece que vem à frente das pesquisas de opinião nos EUA.  Há poucos dias a sinalização era de um predomínio democrata.  Hoje a CNN já fala em liderança do “cara”.  

As dificuldades da Sears, quem diria, são matéria em destaque na primeira página da edicão virtual do New York Times.  Destaquei o quem diria entre vírgulas porque no Exterior, nos anos 60 e 70, o meu sonho de consumo era de acessar a Sears.  No Japão eu ficava maravilhado com as lojas imensas e com a presença de órgão eletrônicos no hall e pianistas virtuosos no teclado, mas eu sempre pensava que aquilo que eu via não era igual a Sears que eu via quando estava em Nova York. 

Lá fora, que nada tem a ver com as nossas escolhas aqui dentro, a fragilidade da bolsa da última semana está chegando ao mercado do petróleo.  O Brent deu as costas ao otimismo de duas semanas atrás.

Nesse cenário, o índice Nikkei fechou em queda de -1,87% e Shangai encerrou com uma variação negativa de – 1,41%.  Durma-se com um cenário desses.  Dormir? 

Os chineses que vivem a tardinha da segunda-feira aguardam, ansiosamente, que os norte-americanos acordem e deem o tom da semana que está iniciando.  Esse tal de fuso horário derruba qualquer analista. 

O que é certo, e que ninguém duvide, é que o mercado financeiro está ligadíssimo.  Eu apreendi isso nas aulas de Portfolion Selection na Escola de Business nos Estados Unidos.  Apreendi e jamais esqueci.  O mercado financeiro está sempre ligadíssimo.

Henry e Meghan Markle já esperam o primeiro filho é manchete da CNN dessa manhã.

FUTEBOL

Quando o Grêmio perde eu fico dois dias sem falar em futebol.  Acho que é um problema químico que afeta o meu cérebro de torcedor. Eu creio que o tricolor realizou uma exibição à altura dos meios disponíveis no Pacaembu.  Sim, foi isso o que aconteceu ontem. E ponto final.

Bom dia leitor do blog!

FOTO ABAIXO:  Eu em Guinza, caminhando numa avenida repleta de gigantescos magazines em 1974, mais ou menos na época em que FHC e Marco Maciel fechavam o pacto político com Sarney.  Nos domingos o centro de Tóquio ficava “de posse” dos pedestres.  As lojas eram extraordinárias, mas nada era igual a Sears. 

 

 

ECONOMIA GLOBAL, o comportamento recente do mercado do petróleo

O preço do petróleo começou o ano em alta.  Não era uma alta qualquer, porque o crescimento da cotação do Brent contabilizava um incremento da ordem de 50% de junho de 2017 para janeiro de 2018. 

Esse resultado refletiu a redução de prdução de um lado e o aumento de demanda, de outro.  Eram outros tempos para o desempenho da economia global.  O platô identificado na versão do Panorama Econômico Global de outubro de 2018 não era sequer citado em outubro de 2017. 

Abro a edição eletrônica de hoje do jornal New York Times e imediatamente eu acesso ao arquivo markets e, logo a seguir, commodities

Busco as cotações do ouro negro.   O mercado convive desde setembro com mais petróleo russo para compensar a oferta menor do Irã 

Nesse momento, são 11h30 no horário de Brasília, o barril do petróleo do tipo Brent Crude para entrega em 18 de dezembro próximo está cotado em US$ 81,59, uma variação de US$ 1,15 sobre o fechamento do dia anterior.

Migro para a cotação do barril do petróleo do tipo Light Sweet Crude e percebo que o barril está cotado em US$ 71,44 para entrega em 18 de novembro próximo, uma variação de US$ 1,73 (-2,36%) sobre o dia anterior.   As variações acumuladas alcançam -4,40% (uma semana), +2,07% (um mês) e + 40,02% (doze meses)

FOTO ABAIXO:  Escolhinha do Grêmio, Zona Sul de Porto Alegre, outubro de 2018

 

BRASIL, bom dia leitor do blog em 14.10.2018

PRIMAVERA

A temperatura em Porto Alegre e de 16 graus.  Há vento de 6km/h e umidade de 94%.  Hoje é domingo e agora são 07h00 no horário local.  Acesso ao site do Climatempo e verifico que há possibilidade de garoa pela manhã, diminuição de nuvens à tarde e muita nebulosidade à noite.  Temperatura máxima de 23 graus.    Para amanhã a previsão do Climatempo é de sol com algumas nuvens, mas não chove.  A temperatura oscilará entre 14 e 26 graus.

POLÍTICA

Há estagnação na economia e falta de segurança no país.  Os candidatos prometem segurança em qualquer pronunciamento de grande repercussão popular.   Na minha percepção, o combate à insegurança e à corrupção são as bandeiras comuns de quem deseja vencer o pleito em segundo turno.

Bolsonaro ainda se encontra em fase de definições na elaboração do plano de governo.   Ele vai devagar no que diz respeito à economia para preservar a estabilidade no mercado financeiro.  Diz que vai reforçar o bolsa família na Região Nordeste, inclusive concedendo décimo terceiros aos beneficiados. 

Haddad realizou autocrítica à presença da corrupção nas estatais e deve reforçar os controles nessas empresas.   Ele aproveitou o fim de semana para focar os seus argumentos na terra e no desmatamento.  Investimentos em energia renovável e estímulos ao avanço da produtividade.  Despertou para focar no agro?

Os candidatos a governadores, Brasil a fora, estão caminhando por lugares de grande circulação de pedestres.    Aparecem na televisão em eventos religiosos, em bares e restaurantes de pequeno porte, em locais de práticas esportivas, enfim, onde há gente eles estão presente.   

ECONOMIA

Muitas promessas dos candidatos antes do dia 28 porque depois vão se deparar com a realidade crua e nua.  No dia 29, começará a cobrança.  Todos desejarão saber como se deixa esse quinquênio para trás. 

O grande problema do governo federal é que o fórmula 1 do Brasil  vai começar a corrida dos boxes.   O país está três notas abaixo do nível de grau de investimento.  É uma tarefa difícil porque o desempenho recente me fez lembrar os resultados obtidos pelo Coopersucar que sempre ficava pelo meio do caminho.  Tomara que mesmo saindo dos boxes o Brasil possa fazer uma corrida de recuperação e consiga fechar a gestão 2019-22 com a classificaçõe de grau de investimento.  

Já sob à otica dos governos estaduais há um prato único a ser servido aos novos governadores.   Trata-se do plano de recuperação fiscal.    E, aí, como é a única proposta do governo Temer é preciso aceitá-la ou aceitá-la.   No menu da União é o que há de concreto para a preservação da gestão da esfera pública estadual.

INTERNACIONAL

O Michael passou e deixou muita destruição.  De positivo ficou o alerta: mais aquecimento global, mais furacões.  A imagem, via televisão, de Donald Trump pode fazer com que a Casa Branca mude o discurso com relação ao Acordo de Paris. 

A ameaça de Donald Trump à Arábia Saudita repercute em âmbito global.  Os sauditas prometem responder à altura se vierem sanções.   A bolsa de Riad recuou 7%, mas fechou em queda de 3,5%.

Eu abro o site da Televisa, México e leio a seguinte manchete:  Por qué el probable triunfo de Jair Bolsonaro, el “Donald Trump brasileño, tiene preocupado al mundo.

ESPORTES

Dia de torcer pela dupla Grenal.  O Internacional joga tudo no Brasileirão.  O Grêmio continua na busca do tetra da América.  A derrota do Corinthians o deixou em situação muito difícil.  O Santos avançou e o time do antigo Parque São Jorge parou nos 35 pontos e começou ficar ao alcance do bloco de baixo do campeonato.

Bom dia leitor do blog!

FOTO ABAIXO: Mercado Público de Porto Alegre, outubro de 2018.

 

BRASIL, bom dia leitor do blog em 13.10.2018

PRIMAVERA

Um dia de céu encoberto, foi essa a impressão que tive quando acordei nesse sábado e que coincidiu com o que li no site do Climatempo.   Essas coincidências entre o que eu observo e o que eu leio sobre as condições do tempo me fazem retornar, mentalmente, às aulas de meteorologia de 1962-63 quando eu fiz o meu brevê. 

A cada aula eu me sentia realizado, era como se eu percebesse que as informações se acumulavam harmoniosamente no nível dos meus conhecimentos.  E assim foi até que semanas depois era preciso convergir os conteúdos de aula com o ambiente de vôo.   E foi assim que eu convivi pela primeira vez com o fenômeno da bruma.  Ela consiste em gotículas suspensas de água, mas que prejudicam a visão.   

Eu havia assistido a um filme brasileiro de 1961 intitulado Bruma Seca.  Seria uma espécie de nuvem de poeira, ou algo parecido, que ocorre quando a chuva é escassa e não permite que o piloto veja o que está à sua frente.  No filme, um casal quer viajar no interior do Brasil, mas o piloto não concorda porque tem receio da ocorrência da bruma seca.  E eu gravei as imagens do que vi no cinema.     

Um dia, de aula prática, eu acredito que convivi com o problema.  Eu via plenamente o solo ao decolar, mas a certa altura eu passei a desconfiar que a visão, que a nitidez estava sumindo.  E agora, José?  Era início da tarde, havia muito sol, estava calor, eu via o que havia acima, mas parecia que eu perdia contato com o solo.  Continuava e enfrentava o que estava alí ou voltava e informava que eu  não via o que diariamente eu via?  Foi um dilema do manicaca.

Eu tratei logo de perder altura sempre com olhos ligados no altímetro até que eu percebi, com precisão, onde eu estava em relação ao solo.  Mantive-me naquela altitude e tratei de voltar logo para o aeroclube.  Enfrentarei a gozação da turma, mas a autonomia do avião era limitada e eu não podia correr riscos lá em cima.  Enfim eu pousei e nunca mais esqueci aquela sensação de ficar sem convicção onde eu me encontrava e para onde eu me dirigia.   

Eu lembro que durante o curso de piloto eu esperava, ansiosamente, pelo primeiro vôo solo.  A sensação de liberdade quando ele aconteceu foi algo sensacional.  Passou o dia do banho de óleo, comecei a voar solo todos os dias e passei a ter uma confiança total nos procedimentos de vôo. 

Confesso que após o fenômeno da bruma eu mudei a forma de pilotar.  Qualquer fato novo, qualquer corrente ascendente, o que quer que acontecesse eu ficava extremamente ligado e já buscava mentalmente a localização da pista para o pouso.  E assim eu percebi que era muito boa aquela fase anterior ao primeiro vôo solo porque a responsabilidade era sempre do instrutor que me acompanhava e a minha missão se limitava a subir, descer e preparar para o pouso.

Fecho parêntese no tempo e volto ao dia em Porto Alegre.   A temperatura local é de 19 graus e a umidade é de 83% com vento de 17 km/h.  De acordo com o Climatempo a capital conviverá com pancadas de chuva pela manhã, muitas nuvens à tarde e tempo firme à noite.  Para amanhã, um dia parecido com o de hoje, mas sem chuva e com temperatura oscilando entre 15 e 22 graus.

POLÍTICA

Foi-se a primeira semana pós-eleições e permanece  “tudo como dantes no quartel de Abrantes”.   A imagem de MIchel Temer me fez lembrar o episódio das forças de Napoleão chegando a Abrantes e Dom João sumindo de véspera de Portugal porque ele tinha viajado com a corte para o Brasil.   

A terra de Camões estava abandonada à própria sorte quando o general Jean Junot, a mandado de Napoleão, chegou a Abrantes, localizada a 146 quilômetros de Lisboa.  O Brasil está que nem Abrantes quando a estagnação tomou conta do país.  O Dom João VI dos nossos dias parece que chegará ao Brasil ao final do segundo turno das eleições.  Quem quer que seja o próximo morador do Palácio da Alvorada, ele deve sentir um pouco do que Junot encontrou em Abrantes.   Temer está que nem Manuel Bandeira na rua Curvelo, em profundo desânimo, desejando ir para Pasárgada; no caso do presidente, desejando ir para Tietê, sua cidade natal, na região metropolitana de Sorocaba. .  

Um Brasil surfando na incerteza, à espera de alguém que defina um novo marco zero.   É isso que aguarda o ex-capitão do exército ou o ex- ministro da Educação de Lula.  Nas mãos de um deles, o eleitorado brasileiro vai fazer a aposta que é possível transformar Abrantes.   A propósito, o cartunista Ziraldo, 85 anos, será homenageado hoje em São Paulo.

ECONOMIA

Pois é, é isso aí.  Bolsonaro saiu oficial do exército em  Agulhas Negras em 1977, foi para a reserva em 1988, foi para a Câmara dos Deputados em 1990 e pretende administrar o Brasil.  Haddad saiu bacharel em direito (1985), mestre em economia, doutor em filosofia e professor da USP  em 1997, e esteve como analista de investimento no Unibanco, subsecretário da Fazenda da prefeitura de São Paulo e ministro da Educação até 2012 e pretende administrar o Brasil. 

Isso posto, eu fico à espera das estratégias de ambos para reverter o quadro da crise que assola o Brasil.  Nesse interregno milhões de brasileiros procuram formas de conviver com tanta adversidade.  A responsabilidade de Bolsonaro e de Haddad para abrir a caixa preta e dizer a que vem não pode tardar.  A inflação está no caminho de volta, o crescimento está à beira do caminho e os brasileiros sobrevivem como podem.  Basta um fio de luz para identificar onde está a saída da crise e a confiança será retomada, no consumo e na produção.  O investimento está na volta da esquina mas o semáforo não muda o sinal e ele não pode acessar à conjuntura nacional. 

Na edição de hoje do Estadão eu vi uma manchete que diz  ‘Estado explica principais propostas de Bolsonaro e Haddad”.  Oba, eu pensei.  Ao terminar o post eu vou até a banca buscar os jornais diários do centro do país.  Todavia, na minha memória está a taxação de ontem do mesmo jornal em que na capa da edição em papel o jornalista escreveu a manchete ‘Planos vagos para economia preocupam o setor produtivo’.   

INTERNACIONAL

A cidade de México City no litoral do estado da Flórida ainda busca os seus desaparecidos quando e a Guatemala é atingida por um terremoto de grau 5,6.  

Donald Trump abriu nova frente de atrito, dessa vez contra a aliada Arábia Saudita.  A aliança histórica estaria ameaçada pelo rompante de Trump?  Se as autoridades locais estiverem por trás do desaparecimento de Jamal Khashoggi o presidente norte-americano disse que vai reagir à altura.  Jamal, saudita, é jornalista do Washington Post.   O principe Mohamed bin Salman nega, peremptoriamente, qualquer participação no fato. 

Portugal deixou para trás a classificação de junk bonds.  A dívida soberana migrou da nota Ba1 para Baa3.  Antonio Costa deve estar realizado com a mudança na pespectiva da economia. A agência Moody’s prevê um endividamento portugues da ordem de 121 % do PIB ao final de quatro anos.  

Na robótica uma novidade a comemorar, um robô que dá saltos.  É o Atlas da Boston Dynamics.  É uma forma de se desviar do alvo?  Grande perspectiva para a área da defesa.  O desvio pode ser para o alto ou para os lados.    De novo os hackers, o Facebook recebe um brutal ataque de piratas cibernéticos, o maior da sua história. 

ESPORTES

O Juventude de Caxias do Sul foi derrotado para o Goiás na noite passada.  Um placar elástico de 5 a 3. No último gol do time adversário o goleiro do Juventude procurava o empate na área do Goiás.  O desespero começa a tomar conta da torcida.  A cada semana a situação se agrava ainda mais. Em compensação, o Brasil de Pelotas vai escapando lentamente da queda para a série C.

Amanhã a dupla Grenal entra em campo.   A tarefa do Inter se resume a vencer para continuar na disputa pelo título.  A missão do Grêmio é muito mais complicada.  Torço por um empate e me dou por satisfeito.  Agora, Grêmio é Grêmio e depois da Batalha dos Aflitos nada é impossível para o tricolor.  Um domingo para sentar na frente da televisão e esperar que Portaluppi retire um coelho da cartola.

Um bom dia leitor do blog!

FOTO ABAIXO:  A imagem é do centro de Lisboa em foto que eu bati em 1968.  Ao fundo está o Elevador de Santa Justa que liga a rua do Ouro na Baixa de Lisboa ao Largo do Carmo na zona alta da cidade.  O projeto é de 1900 e foi inaugurado em 1902.  

 

ECONOMIA GLOBAL, um agradecimento aos leitores do blog

Nesse décimo primeiro ano do blog eu gostaria de deixar registrado o meu agradecimento aos leitores que me acompanham dos mais diversos recantos dessa economia global, cujo comportamento eu procuro analisar diariamente. 

Frequentemente, eu me surpreendo com a presença de leitores de novos países.   Eu acredito que ao introduzir o tradutor na primeira página do blog eu devo ter facilitado a tarefa de quem me lê de tão longe.

No presente momento e ao longo do corrente ano o público que acessa aos meus posts tem origem, por ordem de frequência de visita ao blog, nos seguintes países ou regiões:

Estados Unidos, Argentina, Canadá, Irlanda e Reino Unido;

Portugal, Uruguai, China, Hong Kong e Senegal;

Angola, México, Japão, União Europeia e Austrália;

Índia, República Checa, Holanda, Gabão e Noruega;

Espanha, Grécia, França, República Dominicana e Honduras;

Filipinas, Moçambique, Mônaco, Rússia e Moldávia;

Suécia.   

A todos os meus sinceros agradecimentos.  Aos 74 anos eu creio que consegui virar a página do exercício do magistério, mas reconheço que o blog me permitiu manter o mesmo ritmo da atividade anterior.   As aulas de Cenários Econômicos e de Econometria me permitiram interagir com mais de 40 mil alunos, mas a atividade relacionada ao blog me permitiu ir muito longe nessa economia globalizada. 

Mais uma vez, muito obrigado!

FOTO ABAIXO:  Professor de Teoria Monetária na antiga Faculdade de Economia mantida pelos Irmãos Maristas na condição de faculdade agregada à Universidade Federal de Santa Maria, eu obtive uma bolsa de estudos da Fundação Calouste Gulbenkian para estudar em Portugal em 1968. Foi nessa oportunidade que eu bati a primeira foto em Lisboa.  Eu fotografei as floristas na Praça do Rossio, cujo nome oficial é Praça Dom Pedro IV.  A propósito o Dom Pedro IV de Portugal é o mesmo Dom Pedro I do Brasil.  Ao fundo da imagem está o Elevador de Santa Justa.