CONTEXTO a natureza do texto em 19.03.2109

Porto Alegre, 19 de março de 2019

O CONTEXTO

A data do texto é de 1990 e o título do texto é o Programa Econômico do Governo Collor.

Eu lembro muito bem como foram os anos 80.  Havia muita expectativa com a transição do período autoritário para a abertura.  Tudo o que aconteceu em torno da eleição de Tancredo Neves, os problemas de saúde, as operações cirúrgicas sucessivas, o falecimento do presidente eleito antes da posse e a posse de José Sarnei no Palácio do Planalto.

Sarney manteve por algum tempo FHC como líder do seu governo.  Leitor, eu não estou buscando informações de qualquer natureza para redigir esse post.  Eu estou apenas recorrendo à minha memória.  Então, é provável que repasse alguma informação incorreta na redação desse post. 

Ao elaborar o conteúdo eu estou procurando resgatar informações que possam ser úteis para professores, alunos e executivos interessados em compreender porque os governantes vem de muitas tentativas de estruturar uma grande economia, mas as pedras no caminho parecem inviabilizar qualquer proposta que se queira levar à frente. 

Em meados da década de 80 a inflação elevada levou o governo Sarney a realizar uma série de choques econômicos que não apresentaram os resultados esperados pelas autoridades.  A cada choque mal sucedido a inflação voltava a avançar além do patamar anterior e a exigir a necessidade de conceber um novo choque visando estabilizar a economia.

O Governo Sarney chegou ao fim com a inflação em patamares extremamente elevados.  Eu lembro que na transição de Sarney para Collor, o foco da política econômica estava centrado no objetivo de evitar a hiperinflação.  

Foi com esse pano de fundo que Fernando Collor de Mello assumiu tendo a economista Zélia Cardoso de Mello como a sua ministra da Economia. 

Na Fundação de Economia e Estatística (FEE) existia uma revista chamada Indicadores Economicos que era publicada, ininterruptamente, desde a criação da Instituição.  À época do Plano Collor o editor da revista era o economista Gentil Corazza. 

Eu lembro que tão logo foi lançado o Plano Collor, a FEE optou por preparar uma edição da revista Indicadores Econômicos, exclusivamente sobre a matéria, dentro de um prazo extremamente exíguo.    

E, assim, foi feito.  A Revista Indicadores Econômicos, volume 18, número 1 (1990) direcionou o seu conteúdo para o programa de estabilização do Governo Collor. 

Muitos economistas, inclusive eu, fizeram parte da publicação e, dentre eles, eu destaco os nomes de Maria Aparecida Grendene de Souza, Yeda Rorato Crusius, Pedro Cesar Dutra Fonseca, Fernando Ferrari Filho, Voltaire Schilling, Hélio Henkin,  Isabel Noemia Jungs Ruckert, Edison Marques Moreira, Nilza Moreira Cezar, José Hermeto Hoffmann, Carlos Henrique Horn, Ricardo Dathein, Ronaldo Herrlein Junior, Miriam De Toni, Gentil Corazza e José Luis Fiori.

O TEXTO

Leia no endereço eletrônico abaixo o pequeno texto que eu preparei, dada as condições de prazo, para o volume 18 da Revista Indicadores Econômicos.   O título do meu artigo é o Programa Econômico do Governo Collor. 

http://antoniocarlosfraquelli.com/wp-content/uploads/2016/02/O-programa-economico-do-governo-Collor-V.-18-N.-1-1990-.pdf

FOTO ABAIXO:  Descida da Ladeira, Centro Histórico de Porto Alegre, 18.03.2019, 07h30

 

 

 

TELEVISÃO Collège de France, le temple du savoir, 18.03.2019

Porto Alegre, 18 de março de 2019 

O canal TV 5 MONDE, canal 178 da SKY, está apresentando agora, 21h00 em Porto Alegre, Brasil, um programa especial intitulado Collège de France, le temple du savoir.   O programa é legendado em português. Formidável.  Confira. 

Imperdível!

FOTO ABAIXO: Rua Sete de Setembro, Porto Alegre, 18.03.2019, 07h30 

 

BRASIL, bom dia leitor do blog em 18.03.2019

Porto Alegre, 18 de março de 2019

VERÃO

1 O FIM DE SEMANA

Chegando o dia 20 que marca a data correspondente ao fim do Verão.  Dias quentes ficarão para trás?  Nem sempre, por aqui. Às vezes muda a estação, mas o clima prossegue o mesmo.  Ouvi no rádio que o Outono vai entrar com temperaturas mais baixa em Porto Alegre.  Vou conferir. 

Agora são 05h36 e o silêncio impera nesse fim de madrugada.  A temperatura local é de 23 graus, a umidade relativa do ar é de 83% e há vento soprando de 7km/h.  Nesse domingo de Grenal o dia foi de “Sol com muitas nuvens e pancadas de chuva à tarde e à noite de acordo com o site do Climatempo.  A temperatura máxima alcançou os 30 graus. 

Para hoje a previsão é de “Chuvoso de manhã. Aberturas de sol à tarde e pancadas de chuva que vão até a noite”.  A temperatura oscilará entre os 22 e os 27 graus.  

INTERNACIONAL

1 A CONJUNTURA ECONÔMICA URUGUAIA RECENTE

O Fundo Monetário Internacional (FMI) publicou recentemente um apanhado sobre a economia do Uruguai.  O que diz o documento?  Em suma, que nos últimos quinze anos, a economia local tem sido resistente.  Na região, o Uruguai está entre os que mais reduziram a pobreza e elevaram a renda. 

Mas, o documento diz mais.  Diz que agora o crescimento abrandou e o país se depara com o desafio de um baixo investimento que gerou avanço do desemprego, a pardo avanço da incerteza no ambiente externo. 

2 A CHINA APROVA A LEI DO INVESTIMENTO ESTRANGEIRO

É destaque na edição de hoje do People’s Daily, a aprovação na última sexta-feira da Lei do Investimento Estrangeiro por ocasião da segunda sessão do 13 Congresso Nacional Popular da China.   

A decisão que valerá a partir de primeiro de janeiro de 2020 diz respeito ao ingresso, promoção, proteção e gestão do investimento externo direto

O que as autoridades chinesas esperam com a nova legislação?  Elas acreditam em assegurar a transparência da políticas de investimentos estrangeiros e da concorrência em bases equivalente. 

3 O CONTEXTO DO COMERCIO VAREJISTA NOS ESTADOS UNIDOS

Quando eu residia nos Estados Unidos eu lembro do quanto eu apreciava  visitar o prédio da Sears.   O nome da loja era Sears & Roebuck se é que a minha memória está fluindo normalmente.   

No Japão, no meio de uma agenda densa de nove horas diárias de aula, a visita a um empreendimento do comercio varejista era um verdadeiro passeio. 

Eu lembro de ter ficado surpreso ao encontrar artistas virtuosos apresentando músicas de sucesso em pianos de cauda extremamente modernos no andar solo daqueles prédios imensos.  Para um professor de solfejo, ou melhor, para um ex-professor de solfejo, era um verdadeiro presente dos deuses.

Hoje eu tomei conhecimento que há estatísticas sobre o recuo expressivo do comércio varejista nos Estados Unidos.

Em compensação, houve um movimento em sentido contrário por parte da Amazon via supermercados através da Whole Foods e a Wall Mart através da Jet.com.  Ambas avançam abruptamente desbravando espaços complementares: Amazon em direção às lojas e o Wall Mart rumo ao comércio on line.    

POLÍTICA

1. O PRESENTE DA LAVA JATO

A última sessão do Supremo que tratou do Caixa 2 e priorizou a Justiça Eleitoral foi um lance que decidiu o jogo na prorrogação da partida.  Um placar de seis a cinco diz muito bem o que foi uma das maiores e das mais importantes decisões da política brasileira desde a morte De Getúlio.

2 O FUTURO DA LAVA JATO

É lamentável que tudo tenha se encaminhado dessa forma.  Agora é preciso reconhecer que foram muitos anos no mesmo ritual.  Tudo foi extremamente complicado.  Eu creio que o movimento do Moro para o Poder Executivo visava reforçar a Lava Jato, mas ocorreu exatamente o contrário.  Moro foi para o varejo da burocracia e deu às costas ao atacado do contencioso. 

ECONOMIA

1 A VIAGEM DE JAIR BOLSONARO 

E chegou o grande dia.  O presidente jogará todas as suas fichas para reverter a imagem externa do país.   É fundamental casar a imagem externa com o Investimento Externo Direto (IED)

2 ANTERIORMENTE LULA VISITOU OBAMA QUE O CHAMOU DE “O CARA

Eu lembro das visitas dos ex-presidentes do Brasil à Casa Branca. Eu retenho as imagens na retina porque foram muitas horas de gravações.  Em especial a recepção de Obama a Lula em 13 de agosto de 2009.  Por quê?  Porque Lula ficou aguardando por Obama na poltrona que lhe era reservada.  Foram segundos de espera, apenas.  Obama chegou sorridente. Lula estava um tanto corado.  Depois de cerca de uma hora de reunião, Obama foi à frente dos microfones e afirmou que Lula era “o cara”. 

JAIR BOLSONARO VISITA DONALD TRUMP

Agora é a vez de Bolsonaro realizar uma peripécia equivalente a de Lula. Peripécia? Sim, é a possibilidade de alterar o rumo dos acontecimentos.  A imagem do nosso presidente não é boa conforme afirmou Paulo Guedes em entrevista de duas páginas ao Estadão.  É preciso reverter a imagem da ditadura e do racismo.

A pauta do encontro me pareceu extensa.  Inicia por cooperação militar, passa por combates a crimes, políticas comerciais que lembra a Guerra Comercial dos EUA com a China e, acima de tudo, muita Venezuela.  Tomara que o discurso de não intervenção do vice-presidente Hamilton Mourão seja preservado ao final do encontro.

4 O ENCONTRO PROPRIAMENTE DITO

Se eu entendi bem, Jair Bolsonaro chegou ontem aos EUA, em torno de 17 horas no horário de Brasilia.  Todavia, só vai ser recebido por Donald Trump na próxima terça-feira.  

5 UMA AUDIÊNCIA COM HENRY PAULSON

Na agenda eu detectei que haverá um encontro também com Henry Paulson.   Eu creio que pode ser o apogeu da viagem pela importância do interlocutor da delegação brasileira.

Paulson foi, nada mais nada menos, que o 74* Secretário do Tesouro dos EUA.  Porque eu o acho extremamente importante nessa viagem de Bolsonaro?  Foi ele quem enfrentou a crise das subprimes, a crise das hipotecas nos EUA que contagiou todo o mundo e que foi a causa da recessão global de 2009.

6 O PERFIL DE HENRY PAULSON

Mas não apenas por isso. Principalmente porque ele era de Wall Street, dos intermediários financeiros, extremamente conservador, um defensor ferrenho do discurso da liberdade de mercado e da não intervenção na economia e interveio, radicalmente, como ninguém na economia dos EUA, para evitar que ela quebrasse num fim de semana. 

Um discurso semelhante ao utilizado pela equipe econômica de Bolsonaro, principalmente nesse início de gestão.  Outro dia eu elaboro um post para explicar o papel de Paulson na crise de 2007-08.

ESPORTES

1  O GRÊMIO VENCEU UM GRENAL POR LARANJAS

Um Grenal totalmente descaracterizado.  Ambos entraram em campo com equipes reservas.  O Inter teve um Nonato expulso aos 29 minutos do primeiro tempo. 

Eu achei o Grêmio melhor no primeiro tempo e o Internacional superior na etapa complementar, mesmo com dez jogadores em campo.  

À guisa de conclusão do clássico que assisti eu achei (i) Nonato muito afoito, (ii) Cebolinha parece estar jogando com freio puxado, (iii) as reclamações dos jogadores foram sistemáticas, mesmo com o melhor juiz do país como árbitro, (iv) sem Maicon em campo o Grêmio toca a bola para o lado em demasia, (v) André está melhorando a olhos vistos, (vi) Tardelli precisa mais uns mês para render o esperado e (vii) o Grêmio parece ter sentido a derrota para o Libertad, mas eu acho que o time jogou bem, faltaram, apenas, o futebol do Cícero e a marcação do gol.   

ENTRETENIMENTO

1 BIOGRAFIA DE MARIA THEREZA GOULART

Quando jovem eu lembro da presença de a primeira-dama Maria Thereza Fontella Goulart nas páginas da revista O Cruzeiro.  Até onde eu lembro o foco do conteúdo das matérias estava associada, prioritariamente, ao seu charme.  Eu recordo também que Maria Thereza  tornou-se celebridade internacional no mesmo nível de Grace Kelly, a princesa de Mônaco.

A ida de Jango e Maria Thereza para o Uruguai afastaram o casal da mídia brasileira.  Há alguns anos, ou seriam meses, eu lembro de estar na fila do caixa de um supermercado, aqui em Porto Alegre, quando havia à minha frente uma senhora falando um tanto alto.  E eu ouvi alguém dizer que a senhora era a ex-primeira dama Maria Theresa. 

Por tudo isso eu tenho muita curiosidade em ler a obra Uma mulher vestida de Silêncio, uma biografia da gaúcha Maria Theresa que será lançada em breve pela editora Record.  

Bom dia leitor do blog!

FOTO ABAIXO: Rua Riachuelo, Centro Histórico de Porto Alegre, 15.03.2019, 11h00

 

CONJUNTURA ECONÔMICA 04 Imagens guardadas do passado 02 No fim do ano de 2017 a recessão prossegue na pauta

Porto Alegre, 17 de março de 2019

CONJUNTURA ECONÔMICA 04 

Imagens guardadas do passado número 02 

Sumula 04 No fim do ano de 2017 a recessão prossegue na pauta

Vídeo 04 Entrevista à TV Assembleia RS com o jornalista Antonio Czamanskicomo fazer um site

Esse é o quarto vídeo que eu apresento na série Conjuntura Econômica, Imagens guardadas do passado.

Eu apresentei o primeiro vídeo dessa série no blog no dia 30 de janeiro de 2019.  Foi uma entrevista concedida à jornalista Tânia Carvalho na antiga TV Guaíba. O foco era o período dos choques econômicos dos anos 80 e o tema era o conjunto de 14 medidas lançadas pelo governo Sarney para conter o déficit público. 

O segundo vídeo eu publiquei em post datado de 06 de fevereiro de 2019.  O vídeo era de 22 de abril de 2015, entrevista concedida ao jornalista Antonio Czamanski na TV Assembleia e o foco esteve concentrado na figura do jurista Paulo Brossado que havia falecido no domingo anterior à entrevista. 

O terceiro vídeo da série foi divulgado em post de 24 de fevereiro de 2019.  O vídeo era uma entrevista concedida ao jornalista Antonio Czamanski, na TV Assembleia, em 13 de abril de 2015.  Era para ser sobre o movimento comercial de pascoa, mas o entrevistador  encaminhou a entrevista para a conjuntura recessiva que o país enfrentava.ada para responder perguntas sobre a recessão.

Nesse quarto vídeo da série que eu disponibilizo ao leitor do blog o assunto da recessão voltou à baila. O ano de 2017 estava chegando ao fim.  Para ser mais preciso, eu estava no estúdio da TV Assembleia do Estado do Rio Grande do Sul no dia 27 de dezembro de 2017 em uma entrevista conduzida pelo jornalista Antonio Czamanski para analisar o desempenho da economia naquele exercício.

Qual o meu objetivo ao divulgar especificamente esse vídeo?  Eu penso que eu estava evidenciando algum otimismo com o fim da recessão e a perspectiva que o país fosse retomar o seu crescimento.  Eu fazia um esforço em buscar informações que ajudassem a diagnosticar o fim da recessão.

Eu lembro de ter falado na necessidade de reformas e, mais especificamente, na necessidade de levar adiante uma reforma da previdência.   As contas públicas não poderiam se manter por mais tempo com tanto desequilíbrio.  

Tudo isso aconteceu antes da greve dos caminhoneiros que me deixou extremamente contrariado vendo tanta gente justificando a interrupção das estradas e o aborto da retomada. 

Até uma próxima oportunidade!

 

 

BRASIL, bom dia leitor do blog em 16.03.2019

Porto Alegre, 16 de março de 2019

VERÃO

1 O FIM DE SEMANA

O sábado será um dia de muitas nuvens também à noite.   A temperatura oscilará entre os 20 e os 33 graus segundo o site do Climatempo.    O Verão anda rapidamente para o seu ocaso.   Há muitos anos que eu percebo a mudança da orientação solar em certos pontos do apartamento.  E quando eu constato que a luz do sol já não bate no mesmo lugar em que o fato ocorria  a um mês atrás, a uma semana atrás, eu começo imaginar que o Outono está chegando. Para o domingo a previsão é de “Sol com muitas nuvens durante o dia. Períodos de nublado, com chuva a qualquer hora”.  A temperatura oscilará entre os 22 e os 27 graus. 

INTERNACIONAL

1 A COTAÇÃO DO BARRIL DO TIPO LIGHT SWEET CRUDE

Acesso ao site do New York Times para verificar como está o mercado do petróleo do tipo Light Sweet Crude, cotado em Nova York.  Deixei fechar o mercado na sexta feira, como convém, para verificar a cotação do barril de petróleo que é de US$ 58,39. 

2 O COMPORTAMENTO RECENTE DA COTAÇÃO DO TIPO LIGHT SWEET CRUDE

Nos últimos cinco dias (semana) a valorização do barril foi de + 4,19%.  Nos últimos trinta dias (mês) a valorização foi de + 4,66% e nos últimos 360 dias (ano) houve desvalorização de -4,58%. 

  3 A TRAJETÓRIA DA COTAÇÃO DO BARRIL AO LONGO DE UM ANO

Conhecida a cotação do barril do petróleo no fechamento dessa sexta-feira (US$ 58,3) e as respectivas variações na semana, no mês e no ano, eu busquei na edição de hoje do NYT um gráfico que mostrasse o comportamento da cotação ao longo de um ano. 

O quê eu encontrei?  Há três sub-períodos bem identificados quando se analisa a trajetória do comportamento do barril do petróleo do tipo Light Sweet Crude nos últimos 360 dias. 

Quais são os meses limites desses três sub-períodos? Pequena variação positiva com dispersão crescente entre março e outubro de 2018, queda abrupta entre outubro e dezembro de 2018 e avanço desde então até março de 2019.  

4 A PARTICIPAÇÃO DA OPEP 

A participação da OPEP na produção de o petróleo mundial vem caindo.  A estatísticas evidenciam que a produção alcançou os patamares de 32,9 milhões de barris diários (2017) de 31,5 milhões (2018) e deve recuar para 30,5 milhões de barris diários (2019).

5 A PRODUÇÃO DA VENEZUELA NO RECUO DA PARTICIPAÇÃO DA OPEP

Na crise que a Venezuela enfrenta com dois presidentes defendendo os seus postos, a produção local de petróleo se encontra no mesmo patamar vigente à época da greve geral de 2002, ou seja, no patamar de 1,008 milhões de barris diários, uma diminuição abrupta de 142 mil barris diários somente de janeiro para fevereiro do corrente ano. 

6 EXUMAÇÃO DOS RESTOS DO GENERALÍSSIMO NA ESPANHA

O governo do primeiro ministro Pedro Sánchez manifestou-se a favor de levar adiante a exumação dos restos do ditador Francisco Franco no dia 10 de junho próximo vindouro.   Eu estive no Valle dos Caídos e constatei a presença de uma construção impressionante.  A Abadia foi concluída em 1958 em homenagem aos nacionalistas que morreram na revolução de 1936 a 1939. 

Os restos serão transferidos para o cemitério El Pardo, de acordo com decisão do Parlamento de setembro passado, mesmo contrariando a vontade da família do generalíssimo que desejava levar os restos para a Catedral Santa Maria a Real de La Almudena.   

Sánchez deseja uma exumação breve e discreta enquanto a família quer uma cerimônia com direito a homenagem ao ditador que liderou o golpe que derrubou a Segunda República e levou o pais à Revolução de 1936. 

7 A INSTABILIDADE ECONÔMICA NA ARGENTINA 

A par do programa de Standby firmado pelo governo de Maurício Macri com o Fundo Monetário Internacional, a inflação prossegue no caminho de alta.  A inflação registrou avanço de 3,8% no mês de fevereiro.  

Depois de a cotação do dólar alcançar o patamar de US$ 41,76, o Banco Central da República Argentina (BCRA) jogou-se a fundo para garantir a estabilidade e conter o câmbio.  O dólar fechou em US$ 41,13 e o risco país recuou para 723 pontos na sexta-feira. 

8 A GESTÃO DO FMI E DO BANCO CENTRAL NA CRISE ARTENTINA

A cada oportunidade de um novo desembolso do FMI, há todo um ritual de avaliação dos rumos da política econômica porque o dinheiro que vem do Fundo não deve cair no poço sem fundo da instabilidade cambial.   Para tanto o BCRA deve trabalhar com incremento zero para a fixação da base monetária a partir de primeiro de abril. 

POLÍTICA

1 GRANDE REPERCUSSÃO DA DECISÃO DO STF

A decisão de migrar as decisões sobre os crimes eleitorais para a Justiça Eleitoral implicou significativo revés para Sérgio Moro e todos que defendem a Lava Jato.  Eu não sei se ao aceitar a Pasta da Justiça o ministro Sergio Moro pretendia atuar com um novo cenário que levasse a novos avanços na operação e, simplesmente, levou uma bola nas costas. 

Eu assisti e gravei a sessão do Supremo que tratou da matéria.  Foi um Grenal.  Quando houve o empate de cinco a cinco e a decisão foi para o voto de minerva eu levantei e fui fazer o chimarrão.  Era um pênalti no último minuto da sessão e o lance estava a cargo de  Dias Tófoli.  Deu no que deu. 

Agora, quatro ou cinco anos depois do início da operação é possível que a bola volte ao meio de campo e a partida possa apresentar muitas surpresas durante a fase de prorrogação.   Vou monitorar.

2 SERGIO MORO PODE VIRAR O JOGO NOS EUA

Eu penso que se  for confirmada a ida de Moro com o presidente aos Estados Unidos, cria-se a oportunidade de a imagem de democracia fragilizada possa ser reformulada à medida que Moro dê uma luz sobre o futuro da Lava Jato.   

Por enquanto está tudo turvo em termos de expectativas de continuidade da política de combate à corrupção.    Eu imagino que parte dos atingidos pela Lava Jato devem estar vendo um novo cenário à frente. 

3 O DESEMPENHO DE JAIR BOLSONARO NOS ESTADOS UNIDOS

Pensando melhor em torno da ida do presidente Jair Bolsonaro aos EUA eu acredito que assim como Moro, também ele pode, em tese, reverter as imagens de ditadura e de racismo associadas ao seu governo que vigem lá fora.

Até agora o presidente venceu uma eleição sem debater um programa de governo.  Levantou a bandeira do combate à corrupção e tocou o barco para a frente.  A deficiência apresentada até aqui na sua comunicação com o grande público não mostrou qualquer perspectiva de mudança.

Nos Estados Unidos, o presidente vai encontrar um quadro totalmente distinto do que ele convive aqui no Brasil.  De repente, ele vai estar à frente da mídia global e não pode repetir os erros cometidos internamente. 

4 A PROXIMIDADE COM DONALD TRUMP

Em sua viagem desse domingo Jair Bolsonaro vai conviver com imprensa afeita a grande polêmicas.  O que me preocupa é que ele será levado pelas mãos oportunistas de Donald Trump que precisa de respaldo de um grande país, no caso o Brasil, para levar adiante o seu discurso desgastado e a sua controvertida agenda política.  

Jair Bolsonaro chegará a Washington quando Donald Trump ainda está justificando a prisão de Paul Manafort, seu ex-diretor de campanha nas últimas eleições, e que teve a sua pena expandida para 73 meses na última quarta-feira. 

5 A AUSÊNCIA DE APOIO DE UM CHANCELER QUALIFICADO

Ao mesmo tempo, buscando apoio ao seu lado, eu vejo um chanceler que não tem demonstrado a mínima chance de sucesso na missão que ele deveria liderar.   

Ele converge para a política conservadora de Trump e o Brasil precisa atrair capitais que circulam no processo de globalização.  Rompeu a tradição do Itamarati que vem de muitas décadas de unidade de política exterior.  Tumultuou o processo interno no ministério, priorizando a participação de profissionais ainda inexperientes para a exigência do momento.  

6 O DESEMPENHO DE JAIR BOLSONARO NO PLANO INTERNO

O governo deu um azar danado na arrancada da sua gestão.  Afora os múltiplos equívocos, as falhas de comunicação, o afastamento de ministro, o estilo brucutu do presidente, o quebra-pratos inexplicável com a Globo, a preservação de desemprego nas nuvens, a ausência de um plano de governo, a aposta exclusiva numa reforma previdenciária quilométrica, a incerteza quanto à base de sustentação no Congresso e a jogada a la Garrincha sobre a Lava Jato, o governo anuncia a presença de uma desindexação do orçamento no horizonte no momento em que a segurança e a educação não podem abrir mão dos recursos previstos na lei de meios. 

7 DESDOBRAMENTOS DA CRISE NO MEC

Bem, afora tantas restrições, agora o país convive com mais uma crise, aquela que envolve o alto escalão do Ministério da Educação.  O Ministro foi infeliz em declarações e em argumentos relacionados à pasta e precisou se retratar.   Houve sete substituições recentes no alto escalão do MEC. 

Enfim, na hora de priorizar a aprovação da reforma, o governo se depara com uma frente de tamanha instabilidade num ministério de tamanha estrutura como é o caso da pasta da Educação.

8 DESGASTE DE VELEZ, PRESENÇA DE ONIX PARA REVERSÃO DO QUADRO ATUAL

Acumulando tantos equívocos em sua pasta, o Ministro Ricardo Vélez Rodriguez não consegue reverter a imagem que o governo precisa para ter sucesso na gestão da Educação. 

Daí a necessidade de recorrer à experiência de Onyx para tentar encontrar uma saída para tamanho impasse.   Ele, com a sua perspicácia champoliniana, enxergou os cargos do MEC como um meio de atrair reforços para a base aliada que conta com um número insuficiente de políticos para aprovar a reforma da previdência. 

Há consenso que faltam entre 40 e 50 votos para alcançar o resultado desejado pelo governo e a oportunidade caiu no colo de Lorenzoni.    É uma aposta de alto risco, mas fazer o quê?

ECONOMIA

1 CONJUNTURA ECONÔMICA SE MANTEM EM STANDBY

Assim como está, não dá para ficar, mas com a ausência de propostas do superministro da Economia, não há como mudar.   

É quase que inacreditável pensar que com o resultado obtido nas últimas eleições o governo Bolsonaro não tenha o que apresentar como receita para deixar a estagnação para trás.  E, pior, ninguém diz nada.  Parece uma fatalidade!

2 A AUSÊNCIA DE PROPOSTA DE RETOMADA 

Não tendo proposta para a gestão da economia, o ministro fala na reforma enquanto a pauta do Congresso segue em outra direção. 

No momento de o governo utilizar o seu capital político para apresentar uma proposta para a retomada do crescimento, o que se percebe é a existência de um discurso que vai se desgastando porque o mercado de trabalho vai de mal a pior.

No momento que a classe política quer dinheiro para sincronizar interesses políticos com apoio à reforma, Guedes fala em entregar aos políticos o comando do orçamento federal.  Ledo engano.  Os compromissos com pessoal, dívida e previdência não lhe permitem oferecer qualquer troca de recursos orçamentários por apoio à reforma.  O toma lá, dá cá, já está mais do que desgastado.

3 O CAPITAL POLÍTICO SE ESVAI

E, assim, é preciso constatar que o capital político se esvai sem que haja qualquer contrapartida de melhora na economia brasileira.  Lamentável.  E tudo isso está acontecendo sem que aquele conhecido cenário de contestação tenha surgido nas grandes cidades. 

Eu creio que como o governo não consegue acertar o passo e o capital político se esvai, quem se opõe à reforma permanece numa posição relativamente confortável.  A questão é que alguma reforma precisa ser aprovada porque as contas públicas não comportam mais tanto déficit. 

Como obter êxito numa consolidação fiscal que leve o país a um porto relativamente seguro?  Eis, em suma, o desafio do governo Bolsonaro.

4 A INDÚSTRIA DEFINHA

A Indústria não consegue sair do lugar. A cada mês que passa os números do desempenho são decepcionantes.  E o futuro do emprego de qualidade vai ficando para depois.  Emprego de qualidade?  Num país com 12 milhões de desempregados?

Nem a industria extrativa nem a indústria de transformação evidenciam qualquer pujança.  Mariana e Brumadinho bateram forte sobre a Indústria Extrativa.  Bens de capital batem forte sobre a Industria de Transformação. 

E o que dizer da Indústria da Construção?  O governo paulista sinaliza com o lançamento do programa Nossa Casa até o próximo mês de abril.  Serão construídas 60 mil habitações para famílias com até dez salários mínimos de renda.  Aposta de Dória?  Mesmo que não seja, é preciso reconhecer que alguém tem que fazer tremular a bandeira da retomada nesse país. 

5 A INDÚSTRIA CLAMA POR REFORMA 

É paradoxal que o setor industrial propugne a mensagem reformista em um país em que a reforma tomou uma forma esdrúxula.   Porque todos os ex-presidentes propunham reformas fatiadas? 

Eu imagino, por exemplo, o que pode acontecer nas discussões em torno da previdência rural num país em que o milagre do agro alimenta o mundo? 

Enfim, depois de um quinquênio perdido e com toda a carga jogada recentemente contra o sistema S, qual pode ser a expectativa, de fato, do empresário da indústria com relação ao futuro do país?

ESPORTES

1 A NOVA ETAPA DA PREMIER LEAGUE

Ontem foi realizado o sorteio para a realização das quartas de finais da Champions League que devem acontecer a partir dos dias 9 e 10 de abril próximos vindouros. 

Os cruzamentos ocorrerão entre o Ajax versus Juventus, o meu Liverpool versus Oporto, o Tottenham versus o Manchester City do Josep Guardiola e o Barcelona versus o Manchester United

2 GRENAL COM TIME RESERVA DO INTERNACIONAL?

Amanhã, às 19h00 tem Grenal na Arena do Grêmio.  O jogo poderia ser um clássico normal. A direção do Internacional, contrariada com a punição de Nico López, informou que vai mandar o time reserva a campo.  Eu não creio que é uma medida de prudência. 

O momento é totalmente favorável ao trabalho do técnico Odair Hellman.  Um empate ou uma derrota por um gol já seria um bom resultado para o Inter que faz grande campanha na Libertadores.  Um jogo parelho no Grenal é o que Odair precisa para manter o elã da equipe.  Eu creio que a direção colorada não pensa da mesma forma.  

3 REINICIO DA FÓRMULA UM

Amanhã recomeça o automobilismo na televisão nesse ano de 2019.  Os treinos já estão sendo mostrados desde ontem.  Melbourne está em festa com a corrida no Circuito de Albert Mark.  Que saudades do tempo do Emerson Fittipaldi, Nelson Piquet e Ayrton Senna do BRASIL!  Os domingos eram maravilhosos para quem apreciava o automobilismo. 

Bom dia leitor do blog!

FOTO ABAIXO: Viaduto da Borges de Medeiros, 15.03.2019, 10h00

MEMÓRIAS e outras histórias em 15.03.2019

Porto Alegre 15 de março de 2019

Eu bati a fotografia abaixo em 1974.  Estou fazendo um esforço para lembrar a marca da máquina de fotografia que eu utilizava naquela época, mas até agora não consegui alcançar o meu objetivo.

Eu estava  em Hiroshima, estabelecida como cidade em 1589.  Muitas cidades que eu visitei mundo afora estão localizadas às margens de rios e no caso específico eu fiquei sabendo, in loco, que ela era banhada pelo rio Ota que à divide em canais. 

Viajar é aprender.  Viajar é conhecer.  Bendito o dia em que eu pensei que com o inglês eu poderia ir longe.   E, veja leitor, eu era filho de um pai com o primeiro ano primário e mãe com quarto ano primário e, mesmo assim, com seis ou sete anos eu iniciei o curso de inglês no Instituto Anglo Uruguaio em Rivera. 

Que visão de mundo tinham os meus pais, ele filho de italiana, ela uruguaia de gema?  Bem, isso dá assunto para um post que vou escrever oportunamente.  Volto, então, ao curso do texto original. 

O local da imagem é o que se chama, em inglês, Atomic Bomb Dome, a Cúpula da Bomba Atômica.  Na visita que realizei ao local, o instrutor nos ensinou que os norte-americanos tinham lançado a bomba em duas cidades, uma com construções de alvenaria e de madeira.   Foram os casos de Hiroshima em 06 de agosto de 1945, às 08h45, e Nagasaki em 09 de agosto de 1945.  

Na época da visita o instrutor ensinou que as bombas foram planejadas para a explosão a 600 metros do solo, porque permitiria atingir um raio de alcance maior.   Quando eu falo em instrutor é porque no Curso de Planejamento que eu realizei no Japão, nós, os alunos de diversos países de origem, ficávamos oito horas em sala de aula, com intervalo de uma hora para uma refeição, e tudo que dizia respeito ao planejamento regional implicava o deslocamento para os mais diversos pontos do país. 

Era muita aula, muito professor, muito conteúdo, muita bibliografia, muito material distribuído que eu guardo até hoje com muito carinho.  Eu lembro que todos os locais que eu visitava me eram repassadas informações referentes a negócios bilaterais entre o Japão e o Brasil. 

E eu estive, apenas para o leitor compreender o contexto do curso, entre tantos outros locais, nas instalações da Nippon Steel e da Hishikawajima (IHI), aço e estaleiro.  Quando eu penso no que eu vi eu me vejo caminhando e acompanhando a corrida do aço ou a construção de navios. 

Pois a viagem a Hiroshima aconteceu com direito a deslocamento em trem bala e a presença de um instrutor que repassava novas informações à turma de alunos de forma ininterrupta.   Bati muitos slides sobre a cidade e tudo que havia de importante no local da bomba. 

Pois a bomba explodiu a 160 metros de distância da Cúpula que aparece no slide acima.  Cinza e vento envolveu tudo o que havia à vista.  A cidade era a sede do Segundo Exército Geral, do 59o Exército, de 5 baterias anti-aéreas e de 40 mil homens. 

O prédio da Cúpula foi construído em 1915 e é conhecido como Genbaku Domu. Era um Centro de Exposições Comerciais.  É preciso lembrar que a cidade era um centro industrial e militar.

Em Hiroshima eu fui levado a uma sala de cinema onde eu assisti como era a vida na cidade à véspera da bomba explodir.  Depois do final do filme, os promotores do evento projetaram na tela como tinha ficado o que sobrou do que era uma cidade histórica do Japão. 

Tendo em vista que a explosão aconteceu de cima, a cúpula deve ter escapado, por detalhes, da destruição que varreu uma cidade inteira e uma população que nem sabia que era alvo dos norte-americanos.   Quem estava dentro do prédio da Cúpula da Bomba Atômica teve morte instantânea.  

No local eu ouvi falar sobre os desafios de manter o prédio nas condições que a fotografia mostra ao leitor.  Como é possível manter o prédio pós-explosão sem combater a deterioração?

Encerro aqui porque tenho que tocar a vida adiante.  Vou escrever muitas outras vezes sobre Hiroshima.  A visita ao museu local foi inesquecível.  Vou tentar prosseguir nas narrações sem pressa.  Focadas, sempre, nos fatos que mais me impressionaram nas visitas a cada um dos locais presentes nos slides que mantenho guardados comigo.

BRASIL, bom dia leitor do blog em 14.03.2019

Porto Alegre, 14 de março de 2019

VERÃO

1 HOJE E AMANHÃ

A temperatura local é de 21 graus em Porto Alegre Brasil.  Agora, são 09h42 e o dia será com nuvens ao amanhecer e poucas nuvens à noite, de acordo com o site do Climatempo.  A temperatura máxima alcançará os 30 graus à tarde.  Para amanhã, a previsão é de “Sol com muitas nuvens durante o dia e períodos de céu nublado. Noite com muitas nuvens”.  A temperatura oscilará entre os 18 e os 29 graus.

INTERNACIONAL

1 A ECONOMIA DA VENEZUELA VOLTARÁ À NORMALIDADE?

O sistema elétrico voltou a funcionar na Venezuela.  Depois de uma semana de vigência do caos, eu percebo que a mídia internacional passou a divulgar a informação que a eletricidade voltou a operar normalmente.

É possível que a conjuntura econômica retorne à fase anterior ao apagão em que tudo convergia para os debates intermináveis entre Nicolás Maduro e Juan Guaidó?  Eu acho difícil que isso aconteça.  A crise na eletricidade deve ter mexido com opinião dos venezuelanos. 

Dá para cerrar fileira em torno de Maduro ou de Guaidó se não há eletricidade em casa?  Eu acredito que agora há um agravamento da situação que até os omissos podem ir à praça pública passando a tremular uma das duas bandeira.

Eu penso que não há mais espaço para a indiferença em “território bolivariano”.   O problema de Guaidó é encontrar uma estratégia de reverter a posição dos militares no embate.  Lembrando a dúvida de Garrincha: Juan não teria que combinar com os militares para tomar o poder na Venezuela?  

2 MUDA A POSIÇÃO DOS EUA NO IMPASSE VENEZUELANO?

Ao mesmo tempo, a posição dos EUA frente à instabilidade venezuelana deve estar chegando ao limite com um presidente com o perfil de Donald Trump.  Há algumas semanas o tema da intervenção esteve mais frequente na imprensa.  A Casa Branca deve ter refletido sobre a reação de Vladimir Putin porque há expressivos interesses russos no país. 

3 AS ROCHAS LUNARES PASSARÃO A SER ESTUDADAS

Hoje, pela amanhã, através dos noticiários internacionais, eu soube que as amostras lunares coletadas, que eu vi quando visitei as instalações da NASA, serão analisadas pela primeira vez a partir de agora. 

Inacreditável! Cinquenta anos depois do envio das missões Apolo à lua, a NASA alocou oito equipes técnicas e um volume de recursos de oito milhões de dólares para explorar a matéria prima trazida do satélite a tantos anos.   

4 A MINHA PASSAGEM PELA UNIVERSIDADE DE HOUSTON

Quando eu vi a manchete da noticia das rochas lunares hoje, cedinho, muitas informações foram sendo liberadas lenta, mas progressivamente, da minha memória.

Eu estudei em Houston em 1970 e só não permaneci em definitivo na Universidade de Houston (UH) porque eu buscava um local onde houvesse grande tradição em Econometria. 

Eu era professor do curso de Economia da Universidade Federal de Santa Maria e vinha com o foco de interesse muito bem definido.  Eu tinha um grupo de alunos com os quais eu interagia, na UFSM, no estudo da matemática e da estatística. 

Nos anos 60, quando eu ia à Rivera visitar a minha família, eu comprava livros russos de matemática, traduzidos para o espanhol, que eram vendidos na Casa América localizada na Calle Sarandi.  Ao retornar ao meu grupo em Santa Maria havia uma espécie de festa acadêmica a cada nova obra que chegava.   

O ano de 1970 foi um ano difícil para mim, mas, inegavelmente, rico em experiência.  No dia da matricula eu fiquei sabendo que o Brasil não pagava a anuidade da OEA, que era a instituição que me concedera a bolsa de estudos.  Um obstáculo imprevisível exatamente quando eu me encontrava no partidor.  Um problema para quem estava chegando aos Estados Unidos.  Em consequência foi muito difícil alugar um apartamento sem o respaldo da OEA. 

Finalmente aluguei uma casa na Cullen Boulevard.  Do local até ao supermercado mais próximo eram quatro quadras de distância.  Por conflitos raciais existentes naquela época eu não conseguia acessar às prateleiras para fazer as compras para rancho.   O ambiente era muito tenso.  Era relativamente realizar o suprimento para o consumo próprio.

A universidade ficava umas cinco quadras da minha casa, mas o percurso era percorrido sob calor intenso.   Hoje eu posso afirmar que o calor era padrão Cuiabá.   O ar condicionado dentro de casa nunca era desligado, dia e noite.  O telefone era muito caro e não existia www. 

A proximidade da cidade com a NASA permitiu que eu visitasse as instalações e mudasse a minha forma de ver o mundo.

5 O QUE EU APREENDI SOBRE A NASA

A primeira constatação que eu apreendi no dia da visita foi que a NASA tinha sido criada em 29 de julho de 1958.  E na época que eu visitava o local o foco da instituição estava centrado no projeto Apollo.

Isso porque os astronautas Neil Armstrong e Buzz Aldrin tinham pousado na lua no ano anterior a minha estada em Houston.  O pouso da Apollo ocorreu em julho de 1969. Depois, vieram mais cinco missões que se estenderam até 1972.

Apreendi, também, que a NASA tinha diversas instalações, entre elas o Centro Espacial Lyndon Johnson em Houston e o Centro Espacial Kennedy na Flórida.   No primeiro, que eu estava visitando, funcionava o centro de comando dos vôos tripulados enquanto que na Flórida funcionava o complexo de lançamento de foguetes.  

Hoje, a instituição está voltada para a criação de uma estação espacial em conjunto com europeus, russos e asiáticos.  Naquela época os tempos eram outros.  Havia uma corrida, uma competição com os russos face ao êxito do projeto Vostok com o cosmonauta Yuri Gagarin.  Os soviéticos foram os primeiros a lançar o homem ao espaço    

6 O QUE EU APREENDI SOBRE O CENTRO ESPACIAL LYNDON JOHNSON  

Quando eu visitei o Centro Espacial Lyndon Johnson eu pensava em base de foguetes, mas eu estava no centro de controle de vôos tripulados.  O local tinha sido escolhido pelas condições climáticas, as facilidades de infraestrutura, a presença de duas universidades, Rice e Houston e a sua localização próxima ao complexo de munições de San Jacinto.

Eram muitos, muitos prédios.  Eu imaginei algo como quarenta prédios.  Foi descer da condução e me deparar, se a minha memória não está falhando, com um foguete Saturno imenso, deitado, junto ao solo que dava acesso ao primeiro prédio.

Entrei na instalação e, instantaneamente, veio-me a ideia que eu estava visitando o futuro.  Tudo era muito moderno para à época.  Era preciso escolher para onde olhar.  Eu tive uma sensação parecida com essa quando eu visitei o Museu do Louvre, em Paris.  Era muita informação para absorver.  Impossível visitá-lo em um dia apenas.  Eu sentia que estava visitando o passado. 

Eu lembro que havia um local, à direita de quem acessava o primeiro prédio destinado à visita de populares, com uma caixa de vidro em cima de uma base de madeira.   Dentro da caixa de vidro havia uma esfera em branco com um espaço bem iluminado no centro, onde estava localizada uma rocha da lua para conhecimento dos visitantes.

Na sequência da visita, o popular ia conhecendo a obra do setor e o ambiente do cosmonauta.  O foguete, a espaço nave propriamente dita, o módulo de comando, o módulo lunar e tudo o que dizia respeito aos astronautas, das roupas aos alimentos. 

A Apollo 11 que era o que havia a mostrar, evidenciando a presença de o módulo de comando em que o astronauta Michael Collins permanecia enquanto Neil Amstrong e Buzz Aldrin realizaram a alunissagem em 20 de julho de 1969 e a aterrissagem no dia 24 de julho.  

Eu tenho material para muitos posts, mas eu não gostaria de encerrar esse texto sem registrar que eu fiquei profundamente impressionado com o limitadíssimo espaço reservado ao astronauta quando sentado no módulo.  Eu lembro de ter pensado naquela ocasião que o espaço era, mais ou menos, como um assento de um fusca sem ter para onde se mexer.  Era sentar e aguentar!

7 POR QUE VOLTAR A ESTUDAR AS ROCHAS LUNARES?

Uma razão para analisar as rochas lunares quase que cinquenta anos depois estaria associada às próximas viagens que a NASA irá realizar no futuro.   As próximas amostras recolhidas poderão ser comparadas às atuais utilizando equipamentos de tecnologia moderna.     

POLÍTICA 

1 O MEU TEMOR DE OS APAGÕES?   

Eu sempre temi que o Brasil sofresse um apagão.  Eu nunca reduzi o problema à eletricidade, mas a um apagão na saúde, na educação, na infraestrutura ou onde quer que fosse possível. 

À medida que o país ia para a superinflação nos anos 80, havia a ameaça da hiperinflação com a consequente perda do padrão monetário, havia choques econômicos que todos sabiam que não produziriam os resultados esperados eu me perguntava e se surgir, de repente, na espreita da madrugada, um choque que deixe o país em standby?  

2 O MEU RECEIO DE UM APAGÃO

Eu atravessei as diversas crises econômicas desde os anos 70 sempre à frente de um microfone.  As exigências do meu trabalho face à minha formação de economista me colocavam numa posição que eu não podia deixar de explicar à audiência do rádio e aos telespectadores da televisão sobre o que estava acontecendo na conjuntura econômica nacional.

O diagnóstico da situação era concreto, mas as propostas de política econômica eram recheadas de incertezas.  Nesse ínterim eu pensava se poderia ocorrer um apagão no meio de tantas dúvidas. 

3 O MEU RECEIO DE UM APAGÃO DE GESTÃO

Um apagão exige uma solução imediata. Não acontece como as crises convencionais que levam os governos a apresentar planos e que a população sabe, de antemão, que é preciso esperar algum tempo para que a ação governamental reverta o quadro vigente. 

No caso de um apagão a tolerância é zero.  Bem, dado que o problema é esse, o apagão que sempre me afligiu não era um apagão vertical, mas um apagão horizontal.  Eu sempre temi um apagão de gestão. 

O que significa isso?  O governante não ter uma receita na prateleira para enfrentar o mal.  O governante não saber como proceder frente à crise.  Qualquer semelhança com à crise venezuelana é mera coincidência?

4 OS CRIMES DO CAIXA 2

Acompanhei a decisão do Supremo Tribunal Federal no Canal Globo News nessa tarde.  O placar ficou em 6 a 5 e a decisão  sobre os crimes do Caixa 2 ficará com a Justiça Eleitoral.  Não irão à justiça comum.  Perderam aqueles que defendiam um aprofundamento do combate à corrupção.  Incluindo aí, inclusive, a Procuradora Geral da República. 

A Operação Lava Jato (LJ), lançada em março de 2014, que deve ter se ressentido com a ida de Sérgio Moro para o Poder Executivo, agora se depara com nova pedra no caminho.  Aparentemente a LJ irá se ressentir de ter de conviver com uma nova realidade após a derrota dos 6 a 5 no STF. 

ECONOMIA

1 A REFORMA PASSA A UM NOVO ESTÁGIO

Superada a fase de definições no âmbito da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a reforma deve, agora, seguir o seu curso original.   O presidente da comissão é o deputado Felipe Francischini, 27 anos, advogado, do PSL do Paraná.

Nesse ínterim entre o encaminhamento do projeto ao Legislativo e essa quinta-feira aconteceram muitos fatos novos que alteram o cenário político em Brasilia.  

2 A REFORMA TEM DEFENSORES E CRÍTICOS

Os investidores estão numa extremidade dos que apoiam a reforma.  Os analistas, que consideram temeroso fazer qualquer previsão para o Brasil em um ano e que colocam dúvidas em qualquer estimativa para daqui a dez anos, estão na outra extremidade dos que veem limitações na proposta do governo. 

3 A REFORMA E O ASPECTO DOS PRIVILÉGIOS

O projeto da reforma assegura a preservação dos direitos adquiridos onde não se discutem os privilégios atuais.   A pauta é dura para quem vai enfrentar a aposentadoria no futuro.  Por exemplo, como se comportarão os profissionais da educação em termos do futuro do Brasil? 

4 A REFORMA E OS NOVOS FATOS DA PAUTA

O Ministro da Economia quer agilizar a reforma previdenciária.   A classe política vai querer redefinir posição sobre o tema do porte de armas após o ocorrido em Suzano?  Até Rodrigo Maya é de opinião que flexibilizar o porte de armas pode levar à barbárie. Os dois assuntos não poderão avançar simultaneamente.

O Ministro da Economia quer a formalização do Pacto Federativo.  A classe política quer debater a Educação Brasileira e as demissões recentes no âmbito da pasta.  Os dois assuntos não poderão avançar simultaneamente. 

ESPORTES

1- GRANDE EXIBIÇÃO DO CHELSEA NA EUROPA LEAGUE

Hoje o Chelsea superou o Dínamo de Kiev pelo placar de 5 a zero.  Dessa forma, o time inglês está qualificado para a próxima fase da Europa League.   Na Áustria o Napoli foi derrotado por três a um para o Red Bull Salzburg, mas mesmo assim a equipe italiana seguiu adiante na competição pelo resultado obtido na primeira partida. 

2 O VASCO VENCEU NA TAÇA BRASIL

Jogando contra o AvaÍ em São Januário o Vasco saiu perdendo mas conseguiu virar o resultado e terminou o jogo com placar de três a dois no jogo de ida pela Copa Brasil.

3 DOMINGO TEM GRENAL 

Sem qualquer favoritismo para nenhuma das equipes, o Grenal vai acontecer no fim de semana na Arena.  O uruguaio Nico López está fora da partida. 

Bom dia leitor do blog!

FOTO ABAIXO: Porto de Porto Alegre, 12.03.2019, 16h00

 

BRASIL, bom dia leitor do blog em 13.03.2019

Bom dia leitor do blog em 13.03.2019

VERÃO

1 HOJE E AMANHÃ NESSA ÚLTIMA SEMANA DA ESTAÇÃO

Mais uma semana e o verão chega ao fim.  Está sendo uma boa estação à medida que o porto-alegrense sofre com o calor extremo à tarde, mas tem convivido com muitas pancadas de chuva no fim do dia.  Hoje está muito nublado.  A temperatura local ao meio-dia é de 23 graus. Estava garoando em torno de 09h00.  A previsão do site do Climatempo é de chuva a qualquer hora.  A temperatura máxima deve alcançar os 27 graus. Para amanhã, a previsão é de dia de sol sem chuva.  A temperatura oscilará entre os 19 e os 32 graus.

INTERNACIONAL

1 BOMBA CICLÔNICA CHEGANDO AOS ESTADOS UNIDOS

Eu acompanho os problemas climáticos no Hemisfério a muito tempo.  Acompanho e gravo tudo que acontece quando os furacões estão devastando o solo.  Os meus leitores do blog devem lembrar de quantas vezes eu acompanhei e relatei o que foram noites inteiras de furacões, tufões, ciclones, chuva e vento destruindo tudo que estivesse à frente. 

São cinquenta anos taxando e quarenta anos gravando o que de mais importante está acontecendo no Brasil e no Exterior.  Mesmo assim, com tanto monitoramento no que acontece no clima, hoje eu fiquei surpreso ao abrir o site da CNN.  No texto, o jornalista registrou a existência de uma bomba ciclone que atingirá os EUA.

Fiquei curioso ao ver a manchete e fui atrás da informação.  As nevadas e as tomerntas devem chegar até quinta-feira à região do Colorado, incluindo Denver, Dakota do Sul, Nebraska e Wyoming e ameaçam 45 milhões de pessoas.   

2 A INCERTEZA EM TORNO DO BREXIT OBTEVE NOVO AVANÇO

Hoje foi mais um dia de muita polêmica no cenário político do Reino Unido.  As tentativas de conseguir uma melhor negociação com a União Europeia já haviam sido frustradas anteriormente.  Não restou outra alternativa para Theresa May do que migrar da negociação externa para um pacto interno. 

Até agora tudo dá errado para Primeira Ministra.  Em todas as votações ela sempre é derrotada.   A saÍda do Reino Unido da União Europeia deve acontecer no dia 29 do corrente mês.  Pois, hoje, a possibilidade de sair da União Europeia sem acordo foi descartada em Westminster em uma votação que resultou no placar de 321 a 278 votos.

3 UNIÃO EUROPEIA COMEÇA A SE IMPACIENTAR PELA FRAGILIDADE DE MAY

Depois da votação dessa quarta-feira no Reino Unido, o governo de Bruxelas começa a mostrar sinais de impaciência com Theresa May.   

O que foi negociado com a parceira não é renegociável e, por outro lado, Westminster não aceita, pela segunda vez, sair do bloco sem uma renegociação.  Dessa forma, o BREXIT, o processo de divórcio em si, chegou a um impasse.  Ou a mais um impasse. 

4 PIB DO REINO UNIDO MOSTRA DESEMPENHO MAIS FRÁGIL

Tanta polêmica gerou repercussão no desempenho da economia.  As estatísticas oficiais já captaram a dimensão do prejuizo.  Philip Hammond, o responsável pela pasta da Economia do Reino Unido, informou que o PIB que cresceria 1,6% no corrente ano teve a sua estimativa reduzida a 1,2%.  Para 2020, o Produto deverá crescer 1,4%.

5 UM PRAZO EXTRA PARA O BREXIT?

Dada a situação atual do impasse entre o Reino Unido e a União Europeia buscarem um prazo adicional para chegar a uma saída para viabilizar o Brexit.   A imprensa internacional usa o termo Brextension para identificar um prazo de dois meses para Theresa May buscar alguma saída para a crise junto ao governo de Bruxelas. 

6  A CRISE DO 737 MAX DA BOEING

A decisão do governo de Donald Trump de proibir o uso do 737 MAX deixou o avião sem espaço aéreo para voar.  Foi a pá de cal no avião que provocou dois desastres, na Indonésia e na Etiópia, recentemente.  Eu jamais imaginei que a Boeing ia ser levada à situação crítica tão abruptamente. 

POLÍTICA

1 APROVADO O CADASTRO DO BOM PAGADOR

Da mesma forma como a Câmara aprovou antecipadamente, hoje foi a vez do Senado aprovar o cadastro do bom pagador, com inclusão automática, por um placar de 66 a 5 votos

No país que perdeu um quinquênio, possui 12 milhões de desempregados, outros tantos que já nem buscam emprego, que vem de um longo período de Lava Jato e que o Presidente já anunciou uma operação semelhante para a Educação, dá para imaginar o que haverá de consequências sobre o brasileiro.  Os intermediários financeiros devem estar muito agradecidos. 

2 QUE HORA DE BOLSONARO IR AOS EUA?

Para um presidente que não consegue se comunicar e que produz todo o tipo de equívocos, exigindo, inclusive, uma interpretação de assessores do que Bolsonaro quis dizer, dá para prever as dificuldades que ele vai encontrar nessa ida ao Exterior.

A imagem dele está complicada lá fora.  Eu escrevi uma análise da entrevista de Paulo Guedes ao Estadão.  Na oportunidade o superministro detalha a imagem de Bolsonaro no Exterior.

3 O AMBIENTE QUE NOSSO PRESIDENTE IRÁ ENCONTRAR NO EXTERIOR 

Bem, com todas essas dificuldades e com uma reforma hiper-detalhada para ser analisada internamente, Bolsonaro vai se expor a uma mídia extremamente qualificada.   A gincana a que ele vai se expor será de difícil avaliação. 

Em Davos, no Fórum Econômico Mundial da Suiça, Bolsonaro e os dois ministros deixaram os jornalistas esperando para a entrevista coletiva e não apareceram.   Nos EUA ele não vai encontrar ambiente para repetir a dose. Não haverá desculpa que está cansado ou que há limitação no idioma, que tem outro compromisso ou que precisa antecipar a vinda.  Que situação!

4 A LIGAÇÃO DOS PRESIDENTES TRARÁ RESULTADOS PARA O BRASIL?

Donald Trump gosta de holofote à sua frente.  Jair Bolsonaro vai estar junto.  Não era hora de se submeter a uma pauta dessa natureza, sem tempo de se preparar e sem ter uma conjuntura econômica brasileira estabilizada.

Eu creio que Trump é um exemplo para Bolsonaro, mas Trump está com o seu prestígio político em queda livre.  Não há o que capitalizar nessa viagem à América do Norte. Acredito que o presidente dos EUA vai empurrar a agenda Venezuela a uma definição que lhe interesse.  O Brasil que o siga.  Mourão jamais aceitaria uma decisão dessa natureza.

5 O PORTE DE ARMAS E O MOMENTO DA EDUCAÇÃO NACIONAL

Nos Estados Unidos a mídia pode levar Bolsonaro a tratar do tema do porte de armas que é tão importante na terra de Tio Sam.  Exatamente no momento em que há crise no Ministério da Educação e que aconteceu o evento trágico em Suzano.  Dentro de uma escola.  Prato cheio para tumultuar o contexto em que Bolsonaro precisa buscar melhora de confiança para atrair investimentos externos.  Ponto.

ECONOMIA

1  A BOLSA SOBE

Nesse sobe e desce da bolsa, ontem foi o dia de chegar aos 99 mil pontos.  A reforma nem tomou curso, apenas a CCJ está em configuração e os investidores largaram na frente.  

2  PAULO GUEDES E O ANDAMENTO DA REFORMA

Tudo o que Paulo Guedes precisa é de tranquilidade para levar adiante a pauta da reforma. Todavia, dá para perceber que ele deixou o discurso ufanista e já está jogando a aprovação à conta do Legislativo. 

Ele deve estar percebendo que havia razões de sobra para os governos anteriores fatiarem a reforma.  Alguém tem ouvido falar do grupo que apresentou a reforma na televisão? 

3 PAULO GUEDES E MAJOR OLÍMPIO

Recentemente eu ouvi o presidente ou ministra da Economia afirmar que no Senado a reforma vai tranquila.  O problema é a Câmara.   Hoje o Major Olímpio passou um recado ao super ministro da Economia que na Casa, a prioridade é o combate a corrupção e o setor de segurança.

Em que hora veio a acontecer a tragédia de Suzano para um superministro que precisa levar a reforma à frente?  Certamente que a Educação, que tem a sua equipe sendo depurada politicamente, e a Segurança, vão monopolizar a pauta do Congresso a partir de hoje. Se a reforma passar a um segundo plano a retomada da economia ficará em standby.  Que momento!

4 PAULO GUEDES E O ORÇAMENTO PÚBLICO

O ministro Paulo Guedes está falando no vazio.  Jogou uma reforma previdenciária quilométrica para o Legislativo e agora quer “desindexar” o orçamento público.  Está faltando um pouco de experiência de esfera pública para o ministro.  O que adianta deixar o 100% do orçamento na mão no Legislativo se o Legislativo sempre teve o 100% em suas mãos. 

Que liberdade o Congresso vai ter de migrar recursos de um setor para outro, de uma função para outra, de um programa para outro?  Tudo já está congelado há muitos anos. Impossível retirar recursos da Educação e da Segurança em um momento desses! 

ESPORTES

1 NÃO DEU PARA O GRÊMIO

O Grêmio não jogou uma má partida.   O time correu os dois tempos.  O time adversário soube marcar.  O Grêmio ficou com a bola durante toda a partida.  O Grêmio tomou um gol e não mudou a forma de jogar.  O tricolor não vai mudar a forma de jogar.  Na Arena faltou o futebol do Cícero.  No Grêmio já se sente a falta dos guris no time.

2 DEU PARA O INTER

O Internacional não jogou uma partida excelente. O time correu no primeiro tempo. O time adversário não soube atacar. O Internacional deixou a bola com o adversário no segundo tempo. O Internacional fez dois gols e mudou a forma de jogar. O colorado não vai mudar a forma de jogar. No Beira Rio faltou lugar para D ‘Alessandro na equipe.  No Internacional os guris ainda não são necessários.

3 LIVERPOOL SURPREENDEU E VENCEU O BAYERN

Eu não esperava que o meu time da Premier League fosse a Alemanha e vencesse por três a um.  A equipe inglesa saiu na frente, os alemães empataram, mas o Liverpool converteu mais duas vezes e está nas quartas de finais da Champion’League. 

ENTRETENIMENTO

1 O PORQUÊ DA TELEVISÃO FRANCESA NA MINHA VIDEOTECA

A televisão francesa me surpreende frequentemente.  Ela tem um perfil de programação muito diferente das demais.  E há muitos programas legendados em português.  

Na minha época, anos 50, a gente tinha quatro anos de francês no curso ginasial. Além disso eu passei mais de dois anos na Aliança Francesa.   Isso torna o idioma compreensível para mim, mesmo que eu não esteja atrás dessa meta.

2 ASSISTINDO O PROGRAMA LA GRANDE LIBRAIRIE 

E assim, eu assisti a mais uma edição do programa La Grande Librairie no canal TV5 Monde com apresentação de François Busnel.  Eu já recomendei ao leitor a assistir o programa que versa sobre literatura.

No programa da véspera, o debate era incluí um livro que faz o leitor retornar ao dia 11 de março de 2001 quando os talibãs destruíram os dois budas de Bamiyan. 

Uma das obras analisadas foi essa Les Porteurs d’eau o novo romance de Atiq Rahimi.  O autor recebeu o prêmio Goncourt há 10 anos com Syngué Sabour. 

O âncora colocou em discussão o fato do autor trazer o tema à baila, praticamente 20 depois do acontecido.  O entrevistado partiu, então, para explicar ao telespectador o que é a Literatura?  Há quatro outros entrevistados que trataram desse e de outros temas. 

O que eu aprecio no programa?  São tratadas de diversas obras no programa.  O apresentador me parece dominar os conteúdos com sobra.  Os entrevistados mostram-se extremamente qualificados.  As discussões e tornam verdadeiras aulas para quem assiste o programa.

3 CONCIERTO

Eu também assisti o programa Concierto na Televisão Espanhola.  Para quem gosta de música, que é o meu caso, eu recomendo esse programa de música.  Foi excelente.  Cantores qualificados repertório à altura de quem aprecia música.

O Concierto trata de apresentação de shows de artistas e bandas de diversas gerações.  Vale a pena confirmar. 

Bom dia leitor do blog!

FOTO ABAIXO:  Casa de Teatro, na rua Garibaldi, Porto Alegre, março de 2019