Um dos fatos que mais me impressionou durante o período em que fui bolsista da Agência de Planejamento do Japão,  nos anos 70, foi a estrutura de transportes.  Em atividade paralela ao curso que fui realizar em Tóquio, eu levei uma carta de apresentação do governador do Estado do Rio Grande do Sul para colher subsídios sobre a criação do sistema de metrô daquele país.

Foi uma experiência notável porque em Porto Alegre havia muito engarrafamento da zona urbana.  Para enfrentar essa adversidade, a capital gaúcha testava um esquema de monotrilho que estava localizado  na rua Washington Luiz, em região próxima à volta do Gasômetro.

Aqui não havia metrô.  O metrô de superfície foi criado em Porto Alegre muitos anos depois.  E na reunião que eu mantive em Tóquio dois fatos me chamaram a atenção: (i) os custos de pesquisa para definir o local de uma estação e o que era preciso gastar para construir a obra implicavam investimentos vultuosos; (ii) quando eu projetei o slide com a vista da capital gaúcha eles imaginaram que Porto Alegre era maior que Tóquio.

Explico melhor.  Naquela época, por razões voltadas à presença de terremotos os edifícios no Japão tinham algumas restrições para fins de construção.  E o meu slide que mostrava o centro da capital a partir de um ponto de observação localizado no Guaíba passava uma ideia de que eu vinha de uma imensa metrópole.

Tudo isso me veio à mente quando passei os jornais da China na Internet nessa quinta-feira.    As autoridades estão construindo um sistema de monotrilho sem condutor, a primeira experiência dessa natureza no país.  A obra está localizada Ynchuan, a capital de Ningxia Hui, uma região autônoma do noroeste da China, que possui 6,3 milhões de habitantes, segundo estimativa de 2010.

De acordo com a edição de ontem do XINHUANET, o sistema Yungui foi desenvolvido pelas empresas BYD, produtora de veículos, e a Huawei, uma gigante de telecomunicações.  Ontem foi o teste – entre outros, a preservação da distância entre os trens e o reconhecimento facial – em um em trilho disposto a 4 metros de altura.  Segundo a fonte, o sistema operará comercialmente no segundo trimestre do corrente ano.

veja a matéria completa no endereço

http://www.xinhuanet.com/english/2018-01/10/c_136885840.htm

Daqui da minha base, um beco em Porto Alegre, continuarei monitorando os jornais chineses.  Procuro novas informações sobre infraestrutura que me parecem dão uma boa ideia dos efetivos avanços da segunda maior economia do mundo no cenário mundial.

FOTO ABAIXO:  Mosteiro de Alcobaça, Portugal.  De estilo gótico, a obra começou  a ser construída em 1152 e a igreja foi inaugurada em 1252.  A foto foi batida em 1968 quando visitei a cidade. Quando criança eu utilizava um livro texto chamado Seleta que fazia referência a esse mosteiro porque um rio passava na cozinha do mesmo e os religiosos levantavam uma tábua que havia no local e pescavam na próprio na igreja.

CHINA, enfim um monotrilho sem condutor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *