A configuração de um novo cenário internacional está em curso.  A imagem dos EUA e seus aliados consolidando um processo de globalização é coisa do passado.  Desde que chegou à Casa Branca o presidente Donald Trump mostrou-se em total desacordo com os valores defendidos pelo seu antecessor e pelos acordos firmados com os seus aliados.

No sábado terminou a reunião de cúpula do Grupo dos Sete realizada no Canadá.  Embora houvesse um documento final, elaborado previamente, pelos demais países membros, Trump o rejeitou peremptoriamente.  Assim, o objetivo do evento ficou mais voltado, prioritariamente, para as mudanças no comércio e no clima.  Trump destoou do pensamento dominante entre os demais presentes ao encontro.  Ele desejava o retorno da Rússia ao G7 e estava em total desacordo com os termos firmados pelos seus parceiros porque eram injustos e danosos aos interesses dos EUA.

Ontem, houve a tão aguardada reunião entre Donald Trump e Kim Jung-on.  Por tudo o que a Coreia do Norte representou na história até o momento do evento, havia dúvidas se algum acordo seria firmado ao final do encontro. As imagens divulgadas na televisão mostraram um ambiente  bastante amistoso. Trump considerou a reunião exitosa e Kim, um prelúdio de paz.  Ao final do evento foi assinado acordo histórico visando desnuclearizar a península coreana.

Hoje eu fui ao estudio da TV Assembleia do RS para participar do programa Espaço Público que é apresentado pelo jornalista Antonio Czamanski e é retransmitido, ao vivo, pela TV Educativa de Porto Alegre.  Na oportunidade o programa obedeceu ao seguinte roteiro:

Desde quando passou a se configurar um novo cenário econômico internacional?

Quais os objetivos da reunião do G7 que aconteceu nesse fim de semana no Canadá?

O presidente Donald Trump foi voz discordante ao longo de todo o evento? 

Nessa última madrugada a mídia internacional cobriu o encontro entre Trump e Kim?

Quais eram as expectativas para o evento que chegou a ser adiado inicialmente?

Como foi o encontro realizado em Singapura e quais são as expectativas para o futuro?

FOTO ABAIXO:  O Santuário Nacional de Cristo Rei, inspirado no Cristo Redentor do Rio de Janeiro, foi inaugurado em 1959 e mostra a figura do coração de Jesus com os braços abertos sobre Lisboa. Eu bati a fotografia em 1968 

 

ECONOMIA GLOBAL, a conjuntura econômica na 24a semana de 2018: o novo cenário, a reunião do Grupo dos Sete (G7) e o encontro de Donald Trump e Kim Jong-un

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *