Porto Alegre, 21 de abril de 2019

O domingo amanheceu nublado em Porto Alegre, Brasil.  A previsão é que vem frio ao anoitecer.  Agora são 12h10 no horário oficial do meu beco, no centro histórico da capital gaúcha.

O tema é recorrente.  É voltar os olhos para à Casa Branca e lá está Donald Trump reclamando.  No campo da economia ele reclama da elevação das taxas de juros por parte do FED.  Veja só, leitor, ele reclama que indicou Jerome Powell para o FED e justamente o seu indicado levou adiante a estratégia da qual ele discorda. 

Ao contrário do Brasil que sempre vive em crise, quem quer que assuma o comando desde a estada do velhinho na presidência, uma crise sempre está sendo maturada.

Os Estados Unidos vivenciou a crise das subprimes em 2008 e a recessão de 2009.  Aí, a saída da crise demorou para valer.  O FED só começou a elevar a taxa de juros em dezembro de 2015.  Em doses homeopáticas.  Donald Trump discorda frontalmente dessa decisão. 

Já passaram anos desde então e o FED insiste em elevar os juros.  No próximo aumento, Donald Trump contabilizará a décima vez que tal fato acontece.  Powell o ignora. 

Trump joga o desempenho da economia lá, em cima, e teme que mais juros abortem a visão otimista que ele prega.  Powell, ao contrário, não vê a América com os olhos do magnata e insiste em repetir o menu dos juros.   

Esses incrementos vão tolher o milagre local em plena desaceleração global, uma insanidade, conclui Trump.

Bom domingo leitor do blog.  Feliz páscoa e muito chocolate também!

FOTO ABAIXO:  Os primos Pietro Fraquelli e Vanessa Rosa Fraquelli em imagem dos anos 90. 

 

 

CASA BRANCA as últimas dos EUA, post 05, em 21.04.2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *