Porto Alegre, 22 de abril de 2019

O tempo mudou por aqui.  A temperatura é de 18 graus, umidade de 94% e vento de 4 km/h.  A previsão do site do Climatempo é que será uma segunda-feira de céu nublado com possibilidade de garoa de dia e à noite em Porto Alegre, Brasil.

Eu faço taxações a 50 anos.  Eu estou me referindo nessa oportunidade aos jornais em papel.  Daqueles que eu acredito que estão com os dias contados, mas que eu me mantenho fiel aos mesmos.  Diariamente eu vou à banca no centro da cidade, compro-os, pago-os e trago-os em baixo do braço.  Sei que é uma atividade típica de fim de linha, mas eu ainda me mantenho fiel à mesma. 

Essas taxações de jornais em papel tem uma história própria entre as diversas taxações que realizo e que incluem os jornais na Internet, os conteúdos das fitas de vídeo, os conteúdos das fitas de áudio e tudo o que um dia possa ter sido taxado.   A história propriamente dita começou a 50 anos como uma atividade pioneira para um jovem economista. 

Eu comprava fichas, que eu usava como professor em sala de aula, e em cada ficha eu recortava e colava uma notícia do jornal papel.  Era um ritual. Na verdade era uma rede PERT.  E foi dessa forma que eu me preparava para as entrevistas em estações de rádio.  O processo avançou e hoje eu estou no que eu classifico como taxação 5.0 do jornal em papel. 

Atualmente, para essa atividade, eu recorto página a página do jornal em papel e as agrupo em uma classificação que eu fui buscar na biblioteconomia.  lsso começou nos anos 70, caro leitor.  É incrível como me ajudou a ler jornais à jato e como contribuiu no meu processo de memorização. 

Quando eu tenho que ir, à força, ao shopping para acompanhar a turma eu levo dois ou três jornais e os destrincho sentado num sofá localizado no corredor.  As pessoas que leem jornais me olham e vem me perguntar o que eu estou fazendo.  As páginas dos jornais saem empilhadas e agrupadas ao final do processo como se alguém estivesse passando e empilhando roupas em uma lavanderia.   

Pois nessa rotina, até eu encontro notícias que me surpreendem algumas vezes.  A última, a que eu deixei para fazer um registro no meu blog, foi uma notícia de jornal sobre a figura de o influenciador digital.  O que é isso?

Em isso foi matéria do jornal O Estado de São Paulo, do dia 14 de abril do corrente mês, página B 8, e matéria assinada por Ana Paula Boni.   A manchete da matéria diz Idoso reinventa carreira como influenciador digital. O que é isso?

Bem o idoso eu acho que sou eu.  O influenciador digital é alguém que escolheu plataforma digital para ocupar as horas.  Algo, mais ou menos, assim. 

Os mais velhos falam sobre moda, decoração e alimentação. São pessoas estratégicas para as marcas, diz a autora do artigo.  Não é o meu caso, mas está feito o registro.  O que eu achei importante deixar para o leitor do blog foi o link existente entre a marca e o influenciador digital, um termo que eu li na seção Carreiras e Empregos de O Estadão.

Agora são 06h10 no horário oficial do beco onde resido no Centro Histórico de Porto Alegre.  Bom dia leitor do blog! 

FOTO ABAIXO:  Quando menino, anos 40 e início os anos 50, a cada aniversário que havia na minha casa, o meu pai encomendava um engradado de guaraná Gazapina e outro de malta da mesma marca.  Malta era refrigerante que faz lembrar a consistência da Malzibier.  Isso, em Livramento de antanhos.  Naquela época não havia frigidaire como a gente conhece hoje.  Às 18h00 passava uma carroça vendendo gelo na frente de casa.  O gelo era vendido em barras grandes que era subdividido à vontade do freguês.  A carroça tinha uma carroceria de metal que conservava o gelo e na casa do consumidor também havia um móvel de metal onde o gelo era armazenado e as bebidas geladas.  Um da família, o Heitor Gazapina, foi meu colega de colégio em Santana.  Porto Alegre, abril de 2019 

JORNAIS, o tema da minha taxação, em 22.04.2019

Uma ideia sobre “JORNAIS, o tema da minha taxação, em 22.04.2019

  • 22/04/2019 em 10:17
    Permalink

    Pois, graças a mais este magnífico trabalho do Professor, inicio esta semana com saudosas rememorações de infância: geladeira, caminhonete entregadora de barras de gelo, Gazapina e … Santana do Livramento anos 50 a 52. Bom dia e Muito Obrigado, Ilustre Professor Fraquelli! (NRMatosJr.)

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *