Porto Alegre, 03 de outubro de 2019

Horário oficial do beco da rua General João Manoel, 18h10, 18 graus, chove todo o dia, esfria à noite

Ontem foi um dia danado nos mercados.  O S&P fechou com uma queda de -1,79%.  O NASDAQ também registrou perda de -1,56%.   Na Asia e na Europa o ambiente era o mesmo.

Na Ásia houve recuos do Nikkei 225 do Japão (-0,49%), do Hang Seng de Hong Kong (-0,19%), do Shangai Composite da China(-0,92%) e do All Ordinaires da Austrália (-1,45%)  

Na Europa, mais perdas.  Quedas importantes no FTSE 100 do Reino Unido (-3,23%), no DAX da Alemanha (-2,76%), no CAC 40 da França (-3,12%) e no FTSE Eurofirst 300 da Europa (-2,76%)/  

Essa madrugada, no horário do meu beco no centro de Porto alegre, eu acompanhei o comportamento dos mercados da Ásia.   Agora pela manhã, no horário daqui, eu conferi o que sobrou da madrugada e que se materializou no fato que o Nikkei 225 voltou a registrar queda de -2,01%, o mesmo acontecendo com o Shangai Comosite (-092%) e o All Ordinaires (-2,10%).   

A exceção correu por conta do Hang Seng que registrou um pequeno aumento de 0,26%.  A propósito é importante considerar que Hong Kong vive um período atípico e que foi objeto de um post recente no meu blog. 

Por que tantos maus resultados?  O receio de uma recessão se intensificou na quarta-feira.  A última vez que o fato ocorreu foi em torno de 40 dias.  E foi o que foi.  Pois, ontem, foi, de novo.

Os problemas se acumulam.   

As manifestações em Hong Kong aumentam em frequência e em intensidade.  Agora há também preocupação nos Balcãs.  Eu escrevi sobre essa guerra na Revista Indicadores Econômicos, há mais de vinte anos quando funcionário da Fundação de Economia e Estatística (FEE), aqui do Rio Grande do Sul.  Os EUA tem pressionado Beijing pela influência da China na região.

O juízo político de Donald Trump gera expectativas dos dois lados da Casa Branca, dentro e fora.   Os detalhes da conversa com Volodymyr Zelenski, presidente da Ucrânica, estão sendo conhecidas progressivamente.  Na Câmara dos Representantes o movimento contra Trump vem ganhando mais intensidade.  Agora foi a vez da China ser acionada pela Casa Branca solicitando investigação sobre Joe Biden, o forte candidato das primárias do Partido Democrata. 

Boris Johnson, primeiro ministro do Reino Unidos, propôs a Jean Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia. a criação de uma zona de circulação de mercadorias entre a Irlanda e a Irlanda do Norte como forma de resolver o Brexit.   Eu assisti essa manhã, o pronunciamento de Jeremy Corbyn, na sessão do Parlamento britânico, em que ele afirmou que o Brexit levará à quebra da economia.

A Trade War entre Estados Unidos e China terá uma nova frente de guerra comercial dos EUA com a Europa.  Estão na mira do governo de Trump o vinho e o queijo francês, os licores, o café, as frutas e os aviões europeus, os uísques da Irlanda e os da Escócia, entre outros.  No caso específico trata-se de uma retaliação decorrente de decisão formulada no âmbito da Organização Mundial do Comércio.

Uma guerra entre os EUA e o Irã tem surgido de forma recorrente no plano internacional.  Há dias que o tema volta, outros dias, o próprio Trump parece esquecê-lo.  Depois da manifestação de Hassan Rohani, presidente do Irã, na Assembleia Geral da ONU parece que o assunto ficou em compasso de espera.  

Trump disse que estava estudando o ataque aos campos de petróleo da Arábia Saudita.  Ele aumentou as restrições econômicas ao governo de Teerã.  Mesmo assim, ele insinuou em negociar.  O governo Iraniano ameaçou com guerra total no plano bélico e com negação de ir à mesa de negociação enquanto houver sanção norte-americana vigente. 

Há preocupação com relação ao comportamento do mercado do petróleo.  A reunião da semana passada que eu acompanhei mantinha a expectativa que para o corrente ano o mercado se mantém como está, mas há previsão de uma melhora para 2020. 

Dentro dos EUA, os aumentos de preços pós ataque terrorista ao fornecimento mundial do ouro negro, começam a acentuar problemas internos.  Enquanto o avanço do preço se manteve em 0,09 cents de dólar por galão, no Oeste, na Califórnia, o aumento do preço foi da ordem de 0,50 cents de dólar por galão.   

Quanto à recessão propriamente dita, a citação à mesma cresceu nos últimos dias.   As manifestações de Jerome Powell (FED) afirmando que não via recessão no horizonte e que não trabalhava com esse cenário parecem estar perdendo força.  Eu já não o vejo reforçando a sua opinião e os seus argumentos. 

Ao contrário, depois de Mario Draghi retomar o Quantitative Easing (QE), o afrouxamento monetário na Zona do Euro, eu percebo que o foco da mídia especializada está concentrado no mercado norte-americano e o tema é a redução de 25 pontos na taxa básica de juro até o fim do ano.

Finalmente alguém pode ter esquecido o alerta de Alan Greenspan no final do ano passado sobre Wall Street?  Haverá ajuste.  Quando ocorrer será uma correção dolorosa.  Estamos vivendo essa última corrida para assegurar algum ganho antes da recessão chegar?  É uma perspectiva temerária.  Em outras vezes foi assim, a recessão chegou e o ajuste também.  É preciso estar atento.  Em outras vezes quando a crise chegou, todos fixaram a recessão e esqueceram o ajuste.  

Boa noite, leitor do blog!

FOTO ABAIXO: Arena do Grêmio em noite de Libertadores.   Eu assisti, via televisão, o jogo da seleção do Flamengo contra o time misto do Grêmio, com quatro reservas importantes – Geromel, Miaicon, Jean Pyerre e Leandro Gomes – e agora a perspectiva muda para o jogo de volta.  O Flamengo não conseguiu ganhar aqui como o Palmeira havia vencido. 

As contusões no lado do Flamengo podem debilitá-lo para o jogo de volta.  Em princípio o time gaúcho jogará completo e afastará a impressão deixada no primeiro tempo do jogo de ida. 

Acho que o rubro-negro já vai enfrentar dificuldade em Chapecó, mesmo com o Samaritano no banco, ou melhor caminhando sem parar à margem do campo.  Penso que o Grêmio precisaria abrir mão, totalmente, do Brasileirão para ir completo no jogo de volta no Maracanã.  Com a equipe completa, o Grêmio tem condições de fazer frente ao Flamengo. 

Em tempo de Jesus no Flamengo, é orar no Grêmio e esperar para ver!  Por aqui, vale o dito da fronteira “que não está morto quem peleia” .

 

CENÁRIO ECONÔMICO, o que vem por aí, post 17, 03.10.2019, ontem foi um dia difícil nos mercados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *