Porto Alegre, 06 de outubro de 2019.

Horário oficial do beco da rua General João Manoel, 18h10, 18 graus, não chove amanhã

A economia mundial está próxima a uma recessão?  Esse assunto tem sido objeto de posts recentes aqui no meu blog.  Ainda ontem eu redigi sobre esse conteúdo e destaquei que Jerome Powell, o titular do FED, havia afirmado recentemente em evento em Zurique, na Suíça, que não trabalhava com essa hipótese. 

Hoje eu estou procurando situar a economia da China nesse cenário de desaceleração global em curso.  

No caso da segunda maior economia do mundo, com uma população de 1.400.174 mil habitantes, o World Economic Outlook (WEO), o Panorama Econômico Mundial do FMI mostra que o PIB chinês vem desacelerando com taxas de 6,8% (2017), 6,6% (2018), 6,2% (2019) e 6,0% (2020). 

Os números do último biênio 2019-20 são estimativas e na última versão do WEO, publicada em julho do corrente ano, a equipe do Fundo reduziu em 0,1% cada uma delas. 

A propósito, na próxima quarta-feira, dia 10 de outubro, uma nova versão do WEO será publicada e ficará disponível no site do FMI que poderá ser acessado no endereço eletrônico www.imf.org

No caso do período 2017-20, em paralelo à desaceleração estrutural do país há consenso que as autoridades chinesas devem avançar nas reformas como uma alternativa para liberar o país da dependência extrema no incremento da dívida. 

Especificamente, em 2019, a guerra comercial, de um lado, e a demanda externa mais fraca face à desaceleração global, de outro, estão a configurar o desempenho da economia chinesa no corrente ano. 

No âmbito da estabilidade, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) evidencia que o país convive com uma taxa de inflação de 2,3% ao ano.

Na recorrida diária aos jornais chineses eu busco, basicamente, três informações, que são aquelas relacionadas ao desempenho da economia, à elevação da dívida e ao incremento dos investimentos.

Pois, na leitura do China’s Daily desse domingo, o jornal informou que a Comissão de Reforma e Desenvolvimento Nacional (NDRC) pretende construir 127 linhas ferroviárias especiais e estratégicas ao longo do exercício de 2020.

No conjunto, as 127 linhas vão acrescentar 1.586 quilômetros à rede de ferrovias existentes no país e elevar a eficiência do tráfico e benefício aos passageiros.   

Isso significa que 80% dos portos.  dos grandes empreendimentos e dos parques logísticos estarão conectados no próximo ano.  E mais, esse percentual deverá ser elevado para 85% quando 2025 chegar.

E dizer que a Maria Fumaça está muito presente na minha memória.  Nos anos 50 era a forma de vir de Livramento a Porto Alegre porque as rodovias eram incipientes. 

Nos anos 70 eu passei a viajar de Trem Húngaro  entre a capital do Estado e Santa Maria.  Era sensacional para a época.   Não mais os bancos duros dos vagões da Maria Fumaça e sim às poltronas cômodas e confortáveis do Trem Húngaro.  Com direito a carro restaurante e garçons trajados a rigor.

Hoje eu convivo com trens de carga quase que exclusivamente.   As antigas estações da estrada de ferro dos município viraram centros de cultura municipais.  Aqui, no meu Estado, há um trem de turismo, uma Maria Fumaça, percorrendo um trecho na serra gaúcha.

E dizer que nos anos 70 eu viajei de Trem Bala pelo Japão. 

Que desafio caiu nas mãos de Paulo Guedes!  Cinco anos entre recessão e estagnação e muita gente enxergando uma recuperação da economia que, certamente, ainda está congelada no partidor. 

É preciso contribuir para o cenário mudar.  Eu procuro fazê-lo através do meu blog para que as pessoas saibam em que águas o Brasil está navegando.   É metade da tarde e o barco está em alto mar.  

Agradeço sempre aos leitores que me prestigiam com o acesso ao blog, e, em especial, aqueles que o fazem desde mais de trinta países no Exterior.  Fico muito sensível na hora de ir dormir, abrir o blog uma última vez, e perceber que há leitores em diversos países da Ásia acessando ao conteúdo.  Perspectivas de bons sonhos! 

Boa noite leitor do blog!

FOTO ABAIXO: Rua Sete de Setembro, Centro Histórico de Porto Alegre, 04.09.2019, 11h00, chovia muito quando eu bati essa fotografia

 

CHINA HOJE, post 13, 06.10.2019, da desaceleração da economia e da construção de 127 novas linhas ferroviárias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *