Porto Alegre, 23 de julho de 2020

Horário oficial do beco da Rua João Manoel, 18:10, 23 graus, 29 % umidade

Na noite passada eu assisti um Grenal diferente.  A partida foi realizada em Caxias do Sul em decorrência do Rio Grande do Sul estar na posição de epicentro do coronavírus no Brasil.  Porto Alegre e a Região Metropolitana estavam vetados para a realização do clássico.   A opção pela Serra foi uma solução encontrada entre as partes que promoviam o espetáculo.

Tão logo surgiu a primeira imagem do estádio eu senti que o jogo seria levado a efeito em um piso inadequado.  A cor era crucial.    Não havia o tradicional gramado de qualidade da dupla porto alegrense.   Ambiente vazio, imagens laterais artificiais e um tapete areia me faziam lembrar os jogos da várzea que eu conheci nos anos cinquenta.

Iniciada a partida, os detalhes do campo ficaram em segundo o plano e o que passou a valer foi a realização de mais um tradicional Grenal pelo campeonato gaúcho de 2020.   Os primeiros minutos levaram as duas equipes a se estudarem, mas, à medida que o jogo estava pela metade do primeiro tempo o jogo passou a ser muito disputado.

Eu achei que durante o primeiro tempo havia muitos espaços nos lados do campo.  Vez ou outra eu percebia que o vazio se deslocava para outra parte do quadrilátero.  O Inter me parecia com muita vontade na disputa.  O Grêmio me parecia que fazia um jogo mais clássico, sem muita agressividade.

No primeiro tempo houve um pênalti a favor do Grêmio.  Cebolinha escalado para bater a falta, eu pressenti que ele iria colocar a bola no canto e que o goleiro iria fazer a defesa.  Tudo aconteceu como eu esperava.  Idoso, já estou mais resignado aos erros do Grêmio.   Antes, eu me sentia abatido; agora, absorvo melhor os erros da equipe. 

No segundo tempo eu achei o Grêmio melhor disposto em campo.  A bola não.  A jogada flui com certa facilidade.   Quando o Inter conseguia tomar conta da bola, partia rapidamente para o ataque.   Eu sentia muito esforço do lado colorado, mas houve, apenas, uma oportunidade de gol.

O gol do Grêmio aconteceu por um lance de sorte.   A bola bateu no lateral colorado que estava na barreira e foi cair no fundo do gol do arqueiro do Internacional.   Alcançado o objetivo – converter um gol na baliza do excelente Marcelo Lomba.

Surpreendeu-me o fato que o grenal foi relativamente tranquilo para a arbitragem.   Não houve violência de parte a parte.  O jogo foi muito bem disputado, na bola.  Houve um bate-boca com D’Alessandro no intervalo com dirigente da Federação, segundo entendi, pelas condições do Gramado.  

Para concluir, eu acho que

(i) D’Alessandro em Maicon estão em efetivo fim de carreira;

(ii) o Grêmio conseguiu reciclar o seu meio de campos com atletas novos e qualidade inquestionável;   

(iii) A dupla Grenal está muito bem servida de goleiros; 

(iv) Eu sempre admirei o futebol de D’Alessandro e acho que ele deveria ocupar uma função executiva na administração colorada;

(v) Eu sempre admirei o futebol de Maicon e acho que ele deve se preparar para ser o substituto do Renato em algum momento no futuro; 

(vi) O Grêmio tem dois grupos de atletas para o meio campo e eu penso que ele precisa preservá-los.  Se vender algum, é preciso reposição imediata;

(vii) Eu tenho impressão que o Grêmio deve acelerar a preparação de uma nova zaga devido à idade de Pedro Geromel e a provável ida de Kanneman para o futebol europeu; 

(viii) Eu penso que o Internacional precisaria planejar a renovação do seu plantel porque há muitos atletas que tem idade avançada;  

(ix)  A zaga do Inter é muito boa.  Sarávia me pareceu com muita vitalidade na lateral direita.  Boschillia joga muito bem e bate na bola com precisão.  Edenilson ainda é o cérebro da equipe.  Guerrero e Musto não me parecem com as condições para titulares dos Inter.   Patrick, sempre contestado, quando entra tumultua a defesa adversária pela rapidez e eficiência de chegar à frente. Nonato que não jogou o grenal e Praxedes são jogadores de muito futuro para o Inter.   

(x) Eu penso que a dupla Grenal deveria planejar uma visita a Porto Alegre de Jürgen Klopp, Josep Guardiola e outros profissionais do mesmo quilate para que eles conhecessem os nossos jovens atletas, as nossas instalações esportivas e o nosso planejamento para o próximo quinquênio.  Acredito que a dupla Grenal precisa crescer para o Exterior. Aqui, no Brasil, não há o que esperar quanto à realização de futuros negócios. 

Boa noite, leitor do blog!

ESPORTES, ao vivo, post 13, 23.07.2020, clássico Grenal do Gauchão realizado em Caxias do Sul

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »