Porto Alegre, 24 de julho de 2020

Horário oficial do beco da Rua João Manoel, 18:10, 27 graus, 53 % umidade, frio para amanhã

Aposentei-me na Universidade Federal do Rio Grande do Sul em 1997. Depois de 52 anos (1967-2019) em atividade eu decidi ficar em casa.   Nessa seção de MICRO CURSOS eu estou postando informações diárias que eu utilizaria se eu ainda fosse professor de Cenários Econômicos. 

01.09.07 ESTADOS UNIDOS, atividade em terra e atividade no espaço

(01 Internacional, 09, Estados Unidos, 07, número de ordem do post) 

O dia nem começou aqui no beco e eu leio uma opinião formulada no dia de ontem por Anthony Fauci, o grande médico infectologista que assessora o presidente Donald Trump na Casa Branca, que as vacinas devem chegar no início do próximo ano, mas que a quantidade necessária estaria disponível ao longo do próximo exercício. 

Então por tudo que apreendi em torno do alcance e das limitações das medidas para o enfrentamento do coronavírus será preciso esperar porque, arrematou o especialista, tudo vai acontecer dentro de uma ordem gradual. 

Então, por mais que haja divergência quanto à retomada da economia, ela só será plena quando meados do próximo ano chegar?   Será por aí?  Eu creio que sim.  A incerteza deve nos acompanhar ainda por um bom período de meses.  

Há algumas semanas houve muita euforia por parte de alguns meios de comunicação pela reação do mercado de trabalho nos Estados Unidos.  Não vejo ninguém mais comentar esse assunto.  O erro na antecipação da abertura em estados americanos botou a corrida à retomada uma verdadeira frustração. 

..

Califórnia e Florida, bem secundados pelo Texas, são o epicentro da primeira onda no presente momento e eliminaram qualquer chance da normalização da economia, ou seja, da segunda onda se concretizar. 

Mesmo, porque, já há mais de quatro milhões de infectados e cerca de 150 mil óbitos no país. Números impressionantes para a maior economia do mundo e, paradoxalmente, líder da propagação do vírus entre os países do globo.

Algumas vacinas são aguardas nos Estados Unidos para os próximos meses.  Os nomes das empresas, seguidos da fase em que o trabalho se encontram, são recorrentes.   A vacina da Moderna está na fase três, a da Astrazeneca com a Universidade de Oxford estará disponível para princípios do próximo exercício.  A vacina da Pfizer estaria pronta para o fim do corrente ano.   

E, por aí, seguem outras, mais ou menos citadas na mídia norte-americana.   Chamou a minha atenção o fato de Bill Gates haver afirmado que no primeiro semestre de 2021 uma nova vacina pode estar disponível.  Por tudo o que tenho lido, eu começo a concordar que a vacina pode não ser descoberta para o corrente ano. 

Que mais eu vejo à frente?   Bem, depois da guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, surgiu o conflito em torno da 5G e, agora, é o fechamento do consulado chinês em Houston que importa.  O assunto estava posto e a China reagiu. 

A China simplesmente exigiu que os norte-americanos encerrem as atividades do seu consulado em Chengdu, situado no sudoeste do país e o único dos EUA no Oeste chinês.   O consulado que irá fechar, e que teve a sua licença revogada, está localizado na capital da província de Sichuan. 

A cidade recebeu indústrias e universidades à época da guerra.   Depois, serviu de base aérea para os EUA na IIa Guerra Mundial.   A cidade de 4,6 milhões de habitantes conta com um contingente demográfico de 16 milhões na província.  

O que a mídia repercutiu nessa sexta-feira é que nesse terceiro embate entre norte-americanos e chineses é que, de acordo com o FBI, há uma cientista de natureza militar refugiada, mas no consulado da Califórnia.  Quanto à reação ocorrida na Ásia, as autoridades locais informaram que os norte-americanos intereferiam em assuntos de interesse chineses no consulado de Chengdu.

Então nessa sexta-feira, que não é 13, depois da Trade War, da 5G, do fechamento dos consulados, parece que começa um novo embate entre os EUA e a China.  No horizonte, a conquista do planeta vermelho.  Ontem, a China lançou a sonda Tianwen 1, a sua primeira missão à Marte, e que deve alcançar o seu objetivo no primeiro bimestre do próximo ano.

Se os chineses lançaram a sonda Perguntas Celestiais, os Estados Unidos devem lançar a Mars 2020 na próxima semana.   É a sétima iniciativa norte-americana rumo ao mesmo objetivo. 

A NASA enviará dessa vez, o veículo  à cratera Jezero.  Se o leitor lembrar que há alguns dias eu escrevi sobre o lançamento de uma nave à Marte por parte de um grupo liderado pelos Emirados Árabes Unidos, é importante concluir que a concorrência está de volta ao mercado espacial.

Bons augúrios aos três centros e que obtenham êxito em suas empreitadas!

Boa tarde, leitor do blog!  

MICRO CURSOS, Internacional, post 01.09.07, 24.07.2020, se eu ainda estivesse em sala de aula

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »