Porto Alegre, 26 de julho de 2020

Horário oficial do beco da Rua João Manoel, 18:10, 17 graus, 67 % umidade

Aposentei-me na Universidade Federal do Rio Grande do Sul em 1997. Depois de 52 anos (1967-2019) em atividade eu decidi ficar em casa.   Nessa seção de MICRO CURSOS eu estou postando informações diárias que eu utilizaria se eu ainda fosse professor de Cenários Econômicos. meuip

01.02.04 PETRÓLEO/COMMODITIES, o segundo gasoduto russo alemão está em fase de conclusão

(01 Internacional, 02, Commodities, 04, número de ordem do post)

Nesses tempos de Guerra Comercial e dos demais embates entre os Estados Unidos e a China – 5G, consulados, corrida espacial – é preciso estar atento a tudo que diga respeito a Donald Trump em âmbito global.   Todos os dias há reclamações novas, atritos inesperados e até renovações de polêmicas anteriores.

Contudo, nem tudo se resume às questões relacionadas a Xi Jing e os interesses da segunda maior economia do planeta.  Donald Trump bate, também, contra os seus tradicionais aliados.   Dívidas do passado são cobradas como se a despesa recém fosse realizada.

O atual inquilino da Casa Branca polemiza sobre tudo.  Nesses tempos de eleições ele não perde uma oportunidade de enfrentar, contrariar, em suma, polemizar.  O importante é ele estar na mídia, diariamente, argumentando contra tudo e contra todos. 

O coronavírus derrubou o pleno emprego, bastião do presidente, e trouxe a incerteza, um mal para Trump.   Essa perda de terreno em período eleitoral faz com que ele busque fumaça onde não há fogo.   Ele está sempre atrás da bola da vez, do que lhe pode gerar algum fruto que só ele visualiza. 

Agora ele está retomando um outro ponto de atrito, dessa vez, o foco está na Alemanha.  Para ser mais preciso na sua relação de economia, de infraestrutura com a Rússia. 

Nesse fim de semana, Trump parece estar focado no Gasoduto Europeu do Norte 2 de 1224 quilômetros de extensão, resultado da obra construída pela empresa Nord Stream AG, cuja acionista é a Gazprom.  Há ramais duplos que conectam, Vyborg, no mar Báltico, na Rússia, a Greifswald, no Velho Continente. 

Lembrando ao leitor que o Gasoduto Europeu do Norte 1 foi construído há uma década.  Objetivamente, a obra de 9,5 bilhões de euros que é perceptível desde a alimentação terrestre nas cercanias de San Petesburgo, foi concebida para duplicar as importações alemãs de gás natural russo.

Desde o início há polêmica ambiental.   Por que não utilizar um gasoduto terrestre?  Desde o início há polêmica de segurança. Porque por em risco a Estônia, Letônia, Lituânia, Polônia e Suécia?    No fim do ano passado faltava concluir, apenas, 20% da obra.

Eu li uma matéria do New York Times desse domingo que o gasoduto já está quase pronto.  Agora falta concluir, apenas, 6% da obra.   Ao que tudo indica, Trump pretende deixar as coisas como estão.  Ele parece procurar atrasar o que ele não pode impedir que seja concluído 

Eu assisti as imagens da aproximação no Mar Báltico do navio colocador de tubos, Akademik Chersky, chegando ao ponto extremo do gasoduto.   O leitor pode acompanhar as imagens no endereço eletrônico  https://www.youtube.com/watch?v=qMEnu3apmuY  AAAA.  É isso aí.  Um navio imenso todo equipado para a pincelada final e a comemoração de mais uma obra concluída.    É, mas, Trump pensa diferente. 

Na verdade, Trump enfatiza que não está agindo por birra.   No fim do ano passado, antes do surgimento do coronavírus em Wuhan, o presidente tinha o apoio do Congresso quando a obra estava concluída em 80%.   O Legislativo apoiou, inclusive, na utilização de sanções ao consórcio.  Ficou determinado que as empresas seriam identificadas e punidas com sanções possíveis em território norte-americano.

Eu penso que o episódio do vírus na China deixou a agenda atrasar.  A punição não era pouca coisa.  A legislação dava cobertura para as empresas estrangeiras terem os seus ativos congelados nos Estados Unidos.

Mark Pompeo alertou as partes que eles devem interromper a atividade ou assumir com as consequência.   As lideranças europeias discordam de Pompeo porque não aceitam interferência em suas políticas energéticas.   A relação entre os russos e os alemães é antiga;  a sanção americana à Gazprom ainda não tem data fixada.

À essa altura, está evidente que os norte-americanos querem escoar os estoques de gás do xisto, mas como a pressão não se materializa em sanção, tudo me leva a crer que o navio Akademik Chersky vai encerrar a tarefa de colocação dos tubos e o Gasoduto Europeu do Norte 2 estará concluído em breve.  É esperar para conferir!  

 Boa noite, leitor do blog!

MICRO CURSOS, Internacional, post 01.02.04, 26.07.2020, se eu ainda estivesse em sala de aula

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »