Docente aposentado (1997) da UFRGS, 76 anos, professor de Cenários Econômicos.

Porto Alegre, 25.10.2020, 00:10, 25 graus C, 55% de umidade

Post 01.03.18

01.Internacional,03 União Europeia, 18 número de ordem do post

 

Eu assisti agora, pela manhã no horário oficial do meu beco, mais uma edição do programa Europa, no canal da TV Espanhola.   Eu gravo esse programa há muitos anos.  Ele vai ao ar todos os sábados no horário de 09:00.  Na verdade, durante o período de férias no Hemisfério Norte o Europa deixa de ser apresentado, mas, agora, com o início de mais um ano fiscal no Velho Continente o programa volta a ser apresentado ao telespectador.

Na abertura, a primeira imagem que apareceu no vídeo foi a de David Sassoli, 64 anos, socialista, cientista político de origem pela Universidade de Florença, jornalista e apresentador de televisão que  assumiu a presidência do Parlamento Europeu em 03 de julho de 2019.   Qual foi a mensagem inicial de Sassoli?

Ele disse que os professores precisam do apoio dos políticos.   Disse, também, que os professores precisam do apoio da sociedade para que a liberdade de expressão seja um valor fundamental, um princípio básico.   Na ocasião, o presidente do Parlamento pediu um minuto de silêncio em homenagem a todas as vítimas do terrorismo.

A mesma mensagem contra todo o tipo de violência foi transmitida por toda a França no dia de ontem.   Ela estava focada no na imagem do professor de História Samuel Paty, que lecionava liberdade de expressão e foi decapitado na semana passada aos quarenta e sete anos de idade, fruto da intolerância religiosa.

Em função desse ambiente em que se propaga o radicalismo, inclusive pelas redes sociais, o Parlamento Europeu decidiu atribuir o Prêmio Sakharov para Liberdade do Pensamento ao trabalho da oposição democrática na Bielorrússia.

…   

Eu assisti a manifestação de Svetlana Tijanóvskaya, na oportunidade em que ela assumia a liderança da oposição bielorrussa.  Ela disse que sentia a necessidade de apoio dos demais países na luta que o movimento desenvolvia no seu país.  É preciso que o povo do seu país entenda que tem apoio externo.   

Internamente, disse Svetlana, é necessário que a população entenda que não está só.  Externamente, complementou, é fundamental que o mundo saiba o porquê da luta que está sendo desenvolvida na Bielorrússia.

Na reunião do Parlamento Europeu entrou na pauta, também, a criação de um Prêmio levando o nome de Daphne Caruana, falecida há três anos.  Os fatos que levaram à sua morte jamais foram esclarecidos .

… 

Daphne Anne Caruana Galizia, nascida em Malta em 26 de agosto de 1964 e falecida em 16 de outubro de 2017 com a idade de 53 anos, era blogueira e ativista anti-corrupção.

No programa da Televisão Espanhola, houve uma manifestação de Corinne Vella, irmã de Daphne Caruana.   Ela disse que a criação do Prêmio que leva o nome da sua irmã é o reconhecimento das autoridades regionais que existe um problema dentro das fronteiras da Europa.

Corinne Vella disse mais, que sua irmã era jornalista, trabalhava como uma profissional dentro da Europa e foi assassinada a poucos metros da sua casa.   Tendo em vista que após três anos não houve transparência do que aconteceu ‘há necessidades das autoridades europeias  explicarem, em detalhes, o que de fato aconteceu.  

Pois é, o evento do Parlamento tratou do tema dos direitos humanos, seja na escolha da oposição bielorrusa para ser distinguida com o premio Sakha 2020, seja na criação de um novo prêmio que levará o nome da jornalista de Malta Daphne Caruana.   

Certa vez, um aluno me perguntou qual o tema mais importante na elaboração de cenários internacionais?  Eu jamais esqueci porque até eu me surpreendi porque respondi, instantaneamente, sem qualquer hesitação, que era a pauta dos direitos humanos.

Boa madrugada, leitor do blog!

UNIÃO EUROPEIA, PRÊMIOS SAKHAROV E DAPHNE CARUANA NA PAUTA DO PARLAMENTO CONTINENTAL

Deixe uma resposta