Docente aposentado (1997) da UFRGS, 76 anos, professor de Cenários Econômicos.

Porto Alegre, 13.11.2020, 18:10, 27 graus C, 46 % de umidade 

Post 01.09.38

01 Internacional, 09 Estados Unidos, 38 número de ordem do post

Assisti, agora, a mais uma entrevista de Donald Trump. Ele mantém o discurso que ao final das recontagens dos votos ele vai terminar como vencedor das eleições.  Eu não sei se alguém acredita no seu discurso, contudo ele descreve a situação do pleito em cada estado e a possibilidade de reverter o quadro que está aí.   

Trump lamentou que os membros do partido republicano foram impedidos de acompanhar o pleito.  Ele recorreu aos tribunais e obteve autorização, dois dias depois, para que os seus observadores pudessem realizar a tarefa.   Nesse ínterim milhões de votos passaram pelo controle eleitoral.

Hoje, eu assisti uma outra entrevista do presidente norte-americano em que ele falou uns cinco minutos somente sobre a covid19.   Ele negou qualquer possibilidade de determinar um lockdown embora a pandemia configura a terceira onda de contágios nos Estados Unidos.

Ele me surpreendeu a detalhar o momento da Operação Warp Speed.   Trata-se de uma iniciativa do seu governo para acelerar a produção e distribuição de vacinas e diagnósticos relacionados ao coronavirus.   Até então ele minimizava  o assunto e mostrava um certo desprezo por tratar do assunto.

Agora, parece que tudo mudou.   Ele afirmou que os avanços são lentos para obter resultados frente ao vírus, chinês na sua percepção.  Mesmo assim, a Operação já registrou despesa de US$ 13 bilhões para os diversas tentativas em curso para chegar à vacina.

É isso aí.  Donald Trump prossegue apostando numa vitória imaginária no pleito do dia 03 de novembro e passou, enfim, a falar sobre a pandemia e dos gastos da Operação Warp Speed.   Durma-se com tamanha instabilidade.

Boa noite, leitor do blog!

DONALD TRUMP, A PANDEMIA E AS ELEIÇÕES

Deixe uma resposta