Docente aposentado, 76 anos, da UFRGS (1997), disciplina Cenários Econômicos, e economista da FEE (2012) durante 40 anos 

Porto Alegre, 05.01.2021, 18:10, 24 graus C, 62 % de umidade, precisando de chuva 

Post 01.03.22

01 Internacional 03 Europa 22 número de ordem do post

A Europa fechou 2020 com uma contração do PIB estimada em -7,0%.  A taxa foi calculada pela equipe do FMI e publicada na edição de outubro do World Economic Outlook (WEO), o Panorama Econômico Global.

Ora a publicação do FMI é de outubro, mas hoje houve novos números divulgados que evidenciam que a contração prosseguia nos meses de novembro e dezembro.   O PMI, o Índice de Gerente de Compras Composto, divulgado, pela IHS Markit, chegou ao piso no semestre, em um ambiente de segunda onda da covid19.

Na análise do resultado do PMI, o valor de 50 pontos faz as vezes do divisor entre expansão e contração.  Pois o índice de 50 pontos  em outubro ficou em 45,1 pontos novembro. 

Essa queda é explicada pelo recuo o PMI do setor de Serviços cuja pontuação caiu de 46,9 para 41,3 pontos.  Já a queda do PMI da Indústria foi de 54,8 pontos para 53,6 pontos. 

Em dezembro o PMI divulgado agora evidenciou um nível de 49,1 pontos.   É uma pontuação melhor que àquela obtida em novembro, mas ainda sinaliza contração.  E foi nesse sentido que a mídia recebeu o número e rebateu em forma de crítica.

Eu senti que a preocupação de lideranças e analistas da economia europeia espelham um tanto de pessimismo.  Muitos acreditam que o pior está por vir.  Vou aguardas a pontuação do próximo mês e eu volto ao assunto.

Boa noite, leitor do blog!

FOTO ABAIXO: RUA DA PRAIA

Bateu saudades do tempo em que eu me deslocava pela rua da Praia em busca do nada.   A foto abaixo é do inverno do primeiro quinquênio da década de 10.  Estava frio e as pessoas estavam bem abrigadas.

O relógio da antiga Casa Masson mostra que é horário de almoço.   Não há luz do sol na rua dos Andradas, um contraste com os calorões do verão desse ano.

 

 Quando eu passo na cercania do relógio eu penso que a empresa foi parceira da capital gaúcha por 120 anos.   É uma esquina de muita história que nem todo o transeunte leva em consideração quando passeia pelo centro de Porto Alegre.

Olhando o lado esquerdo da imagem, o leitor vê o prédio da antiga Livraria do Globo.  Quando eu vejo exemplares antigos da Revista da Globo eu imagino que ela fez às vezes no Estado o que a revista O Cruzeiro representava para a Velha Cap. 

Que tempos aqueles, irmão, quando eu lembro eu sinto vontade de continuar lembrando sempre mais…

HÁ FALTA DE PODER DE ARRANQUE PARA INICIAR A RECUPERAÇÃO DA ECONOMIA DA ZONA DO EURO

Deixe uma resposta