Docente aposentado (1997) da UFRGS, 76 anos, professor de Cenários Econômicos.

Porto Alegre, 13.02.2021, 12:10, 29 graus C, 59 % de umidade 

Post 01.03.29

01 Internacional 03 União Europeia 29 número de ordem do post

Eu escrevo sobre a economia europeia há décadas.  Na minha videoteca eu mantenho mais de quatro décadas de imagens e houve um tempo em que o foco das minhas gravações estava centrado  no fim da União Soviética e a Unificação da Alemanha.

De lá para cá eu concentrei os meus interesses no Parlamento Europeu, com sede em Bruxelas, na Comissão Europeia, com serviços em Bruxelas e Luxemburgo e com representação por todo o bloco, do Tribunal de Justiça da União Europeia com sede em Luxemburgo, no Conselho de Assuntos Econômicos e Financeiros (ECOFIN) com sede em Estrasburgo e no Banco Central Europeu com sede em Frankfurt am Main.   

….

Tendo em vista que são quatro imensas instituições e vinte e sete países membros na União Europeia (UE), o leitor pode imaginar quanta informação é produzida no bloco ao longo de um ano.   A fim de simplificar o trabalho no meu blog eu decidi em algum momento do tempo que todas as matérias originadas na quatro instituições e nos 27 países ficariam agrupadas no título União Europeia

Pois nesse sábado entre os muitos, os muitos assuntos importantes circulando no bloco, eu foco na escolha de Mario Draghi como Primeiro Ministro da Itália, ele que até recentemente exerceu o cargo de presidente do Banco Central Europeu com sede em Frankfurt.

E assim, atento aos fatos em curso em Roma eu pretendo fazer apenas duas observações sobre os acontecimentos da Itália.  A primeira, quem é Mario Draghi; a segunda, o tamanho do seu desafio.

… 

Mario Draghi, 73 anos, também virginiano de 03 de setembro de 1947, obteve o seu título de graduação na La Sapienza, a Universidade de Roma, e doutorado em Economia (1976)  no MIT, nos Estados Unidos.  Eu imagino o trabalho que ele deve teve para ter como adviser, os professores Franco Modigliani e Roberto Solow, ambos prêmios Nobel de Economia.

Posteriormente, ele exerceu, simultaneamente, as carreiras docente e de executivo.  Ele foi professor (1981-91)  em Florença e diretor Executivo (1984-90) do Banco Mundial.    Então, até 1990, Draghi já acumulava formação numa das melhores instituições acadêmicas dos Estados Unidos, a experiência de professor na Itália e, quem sabe, o ponto mais alto do seu currículo, que foi assumir a gestão do World Bank. 

Só depois dessa “fase inicial” da sua carreira que eu lembro de ter começado a gravar imagens do economista para a minha videoteca.   Veja, o leitor, que eu gravei 2.300 horas em fitas de videocassete durante alguns anos e, depois, com a chegadas dos DVDs eu migrei da fita para o novo recurso tecnológico disponível.   E assim, eu cheguei às 65 mil horas de gravações.   Faço o quê com tantas imagens?

Bem, Draghi esteve como diretor geral (1991-2001) do Tesouro da Itália, tendo sido co-responsável pela lei de regulação dos mercados financeiros locais.   Some-se a isso a participação em todas as instituições, sejam bancos, sejam empresas, voltadas ao desenvolvimento da Itália. 

E assim ele foi guindado a diretor executivo (2002-05) do Goldman Sachs.  Paralelamente tornou-se executivo na Princeton University, no Brookins Instituion e na escola de governo de Harvard.   Impressionante a experiência acumulada por Mario Dragi antes de assumir a presidência do Banco Central Europeu.

Nos meus trabalhos da videoteca eu sempre procurei acompanhar os fatos mais importantes em âmbito global.  Nesse contexto a experiência me mostrou que havia alguns economistas que eu deveria estar atento a todos os seus pronunciamentos.  Dentre eles os prêmios Nobel de Economia, e alguns, outros, também economistas, brasileiros ou não, em que eu aprendia demais ouvindo, sempre que possível, as suas posições.   Mario Draghi está nesse grupo há uns dez anos.

Mario Draghi, finalmente, exerceu a presidência do Banco Central Europeu entre 2011 e 2019.  Foi um executivo integrado à política europeia, com um destaque, ou seria uma exceção, quando se posicionou sobre o helicopter money.   A expressão dinheiro de helicóptero foi cunhada por Milton Friedman. 

Ela foi revitalizada no início desse século por alguns economistas, inclusive Ben Bernanke, ex-chairman do FED, e ela associa a política monetária como forma de evitar a deflação.   

Ela se diferencia da Quantitative Easing (QE), o afrouxamento monetário, assunto muito frequente no meu blog, porque nessa os Bacens criam reservas comprando ativos financeiros e os levando a uma troca de ativos enquanto que no dinheiro de helicóptero os Bacens doam o dinheiro que foi criado, sem elevar ativos nos seus balanços.

Afora a sua manifestação sobre o dinheiro de helicóptero, Mario Draghi chegou ao fim da sua gestão enfrentando um dos períodos mais difíceis da economia mundial que foi aquele da retomada mundial após a Grande Recessão de 2009.

Agora eu migro para o segundo ponto.  Eu acho que Draghi foi escolhido para resolver um problemasso!  Eu não chego a afirmar que é um problema sem solução, porque, por definição eu me considero um oriundi e não gostaria de ser pessimista com relação ao futuro dos “parentes”.

Eu fui conhecer os “parentes” na Itália em 1969.  Eu tinha um documento do meu avô nascido em Como e viajei para lá. Tomei conhecimento do Lago di Como, um dos mais profundos do Velho Continente, e fiquei maravilhado.  Hospedei-me num hotel em Como e saí em busca dos Fraquelli de lá.

Na Argentina há um grande contingente de pessoas com o meu sobrenome.  No Uruguai, há alguns poucos, mas no Brasil nunca conheci ninguém da mesma origem.  Então, fui ao guia telefônico, letra F, Fraquelli, e encontrei três páginas, folha e verso, letras pequeninas, lotadas de “parentes”. 

Escolhi um e fui.  Por acaso, o tio do visitado tinha emigrado para o Brasil e tinha o nome do meu avô.   Desde então passei a acompanhar a política italiana de forma diferente.  Afinal, eu era um oriundi. 

Na minha videoteca eu tenho imagens de como os italianos saíram da Italia e as condições em que eles viajavam nos navios. É quase inacreditável que eles tenham sofrido tanto. Um dia eu começava um curso no pós de Administração e eu utilizava imagens selecionadas do fim do século XIX e de 1900, 1925, 1950 e  1975 como introdução ao curso de Cenários Econômicos.

A minha ideia era que os meus alunos vivenciassem a realidade histórica de diversas regiões do Exterior.   Quando eu projetei no telão da sala de aula as imagens da BBC mostrando os navios repletos de imigrantes, a gincana da viagem, temporais, doenças, crianças, velhos e quanta coisa mais, uma aluno passou a chorar.  Depois ela explicou aos colegas que naquele momento ela entendeu o que a nonna  contava sobre as dificuldades que havia enfrentado para chegar ao Brasil. 

Isso posto, vale lembrar que Mario Draghi vai conviver com um sistema bilateral.    É difícil imaginar uma articular com uma Câmara de 630 deputados e um Senado com 315 membros, agrupados em 9 partidos, quais sejam, Movimento Cinco Estrelas, Liga Norte, Partido Democrático, Força Itália, Irmãos da Itália, Artigo 1, Mais Europa, Esquerda Italiana e Federação dos Verdes.   É preciso não desprezar o fato que há políticos alocados em níveis europeu, nacional, regional  

Bem, até recentemente contavam-se 57 primeiros ministros Itália.  Giuseppe Conte foi o de número 58, vinculado ao Partido Independente, empossado em 01.06.2018, sob a presidência de Sergio Mattarella, e terminou a sua gestão no dia de hoje, em 13 de fevereiro de 2021. 

As dificuldades de alocar os recursos originados dos fundos europeus quebrou a aliança política que sustentava Giuseppe Conte e não sobrou outra alternativa ao presidente que optar por um governo de natureza evidentemente tecnocrata com Draghi à frente.  

… 

Mario Draghi tomou posse há algumas horas, mais precisamente, ao meio-dia no horário local.  Ele será o gestor da terceira maior economia da região. Em 2020, a economia enfrentou uma recessão com o PIB evidenciando uma queda de -9,2%, um desempenho sem precedentes desde 1945.  

A previsão do FMI é que a economia italiana avance 3,0% (2021) e 3,6% (2022).  A inflação está no piso.  A projeção do Fundo é de IPCA em 0,6% (2021), mas a pressão recente sobre os preços é imensa e a Taxa de Desemprego em 3,0% (2021).   

,,,

A recuperação econômica nacional será o maior desafio do novo Primeiro Ministro.  Ele contará com o apoio dos partidos Movimento Cinco Estrelas, Democrata, Livres e Iguais, Itália Viva, a Forza Itália e a Liga.  Dentre o ministério de Mario Draghi destacam-se Daniele Franco como Ministro da Economia e Vittoriao Colao como ministro da Inovação e da Área Digital.   

Eu acredito que a tarefa de Mario Draghi é inglória.   Contudo a experiência dele no enfrentamento das adversidades regionais e global quando no cargo no BCE deve pesar para que ele consiga produzir resultados razoavelmente ajustados à conjuntura econômica italiana. 

A partir de agora eu vou monitorar a gestão do governo Draghi, mostrando o seu alcance e as suas limitações.  Eu acredito que aonde quer que Draghi tenha estado ele detinha o status de todo poderoso;  dessa vez, ele muda de lado e vai conviver com uma pressão jamais vista na sua experiência recente. 

Boa tarde, leitor do blog!  

FOTO ABAIXO: O AQUEDUTO DE SÃO SEBASTIÃO EM COIMBRA

A foto abaixo é de 1968 eu estou na calçada Martim de Freitas e às minhas costas estão os Arcos do Jardim, forma popular de identificar o Aqueduto de São Sebastião, em Coimbra, uma obra de um quilômetro de extensão e considerado um monumento nacional desde os anos 10 do século passado.    

Originalmente o local era ocupado por um aqueduto da época dos romanos,   A obra do século XVI, mais precisamente de 1570, por ordem de Dom Sebastião, o aqueduto tinha até 13 metros de altura  está representado por vinte e um arcos que partiam desde a altura dos morros do Castelo de Coimbra.   

A ideia era levar a água até o Convento de Santa Ana.  Com o passar dos anos, o aqueduto perdeu um arco para viabilizar uma obra municipal no local. 

Reduzido a vinte arcos, o aqueduto prosseguiu suportado por pilares com as faces mostrando degraus que o leitor pode observar na fotografia abaixo.

UNIÃO EUROPEIA: MÁRIO DRAGHI, PRIMEIRO MINISTRO DA ITÁLIA, ENFRENTA O MAIOR DESAFIO DA SUA VIDA?

Deixe uma resposta