Porto Alegre, 10.07.2021, 18:10

Post 01.01.53

01 INTERNACIONAL,01 Retomada global, 53 Número de ordem do post

Desde ontem, o Grupo dos 20, o G20, está reunido em Veneza para debater uma pauta densa.  Dessa vez, os ministros da Fazenda e os diretores dos bancos centrais são os protagonistas do evento.

A agenda do encontro tratou dos desafios do clima, da descarbonização da economia e da criação de impostos sobre o carbono.   Matérias interligadas, um perfil articulado de assuntos e temas fluindo em direção ao futuro, mais especificamente, rumo ao ano de 2050.

Do evento iniciado ontem na Itália, eu selecionei uma manifestação específica de Kristalina Georgieva, a economista búlgara que dirige o Fundo Monetário Internacional (FMI), e que diz respeito à retomada da economia internacional após a recessão mundial da pandemia.

Nesse sentido, Kristalina reforçou a projeção do Fundo, de abril próximo passado, e que prevê um crescimento de 6,o% em 2021.  Porém, ao mesmo tempo, ela disse que as divergências entre as economias está avançando.  Isso significa que os países não estão se recuperando num único ritmo, mas que o mundo segue em duas velocidades diferentes.

Um bloco está ganhando tração; o outro está com o desempenho reprimido.   O primeiro reúne economias avançadas e algumas emergentes; o segundo, agrupa os países pobres.  E, esse quadro se agrava, à medida que a variante delta se propaga pelo mundo. 

Face ao exposto, além das medidas de política econômica e de vacinação intensificada, é preciso agir em três frentes prioritárias. 

Em primeiro lugar, Georgieva prega a necessidade de acelerar, ainda mais, o processo de vacinação.  Em segundo lugar, é imprescindível recorrer a políticas macroeconômicas sólidas e, por último, priorizar o apoio aos países vulneráveis, ou seja, reforçar as reservas dos países para viabilizar a compra de vacinas e aumentar a confiança na retomada das economias emergentes e em desenvolvimento.

… 

Decisão tomada, vou monitorar os desdobramentos da pauta do G20 da reunião encerrada em Veneza.   Boa noite, leitor do blog!

    

FOTO ABAIXO: HIROSHIMA, 1974

Ontem eu escrevi sobre uma fotografia em que eu aparecia junto ao rio Ota, ou Ota Gawa, após ter visitado o Castelo de Hiroshima. 

Hoje eu mostro a primeira imagem que eu obtive tão logo eu deixei a estação ferroviária de Hiroshima.  Eu deixei a gare e me deparei com essa vista.  Tudo, à primeira vista. 

Eu lembro que senti um impacto de ver tanta movimentação à minha frente.   Eu recordo também que a primeira ideia que me veio à mente foi que eu estava perante uma cidade do tamanho de Porto Alegre. 

O GRUPO DOS 20 REÚNE EM VENEZA E TRATA DA RECUPERAÇÃO MUNDIAL QUE ACONTECE EM DUAS VELOCIDADES DIFERENTES

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *