Porto Alegre, 14.07.2021, 18:10

Post 01.03.54

01 INTERNACIONAL,  03 Conjuntura europeia, 54 Número de ordem do post

CANTINHO DA PANDEMIA:   Eu acesso ao National Herald, jornal da Índia e verifico que a manchete principal da edição virtual informa que Políticas e ações concretas e direcionadas necessárias para enfrentar o impacto da pandemia sobre os trabalhadores informais, mulheres.

Hoje houve a abertura da Sétima Reunião Ministerial do BRICS, com a pauta focada no Trabalho e Emprego.  De concreto há o consenso que os países do BRICS, incluindo a Índia, precisam migrar da abordagem centrada no ser humano para o desenvolvimento.  E, aí, percebe-se que até aqui não ocorreram ações exitosas.

Especificamente com relação à Índia, o governo pretende implementar algumas reformas econômicas independentemente da posição dos sindicatos dos trabalhadores que se opõe às iniciativas.

CONJUNTURA EUROPEIA:  Eu acordei de madrugada e, como de hábito, dei uma passada de olhos na televisão.  Há uma diferença expressiva de fuso horário entre o meu beco e o que está acontecendo na Ásia e na Europa.

Na verdade eu não tinha percebido que hoje era 14 de julho.  E assim, de repente, um tanto indeciso entre voltar a dormir ou prestar atenção à televisão, eu me deparei com o título Édition spéciale 14 julliet 2021

Ao perceber que se tratava do evento magno do 232′ aniversário da queda da Bastilha e que levava a denominação A Conquista do Futuro, eu decidi acompanhar a programação prevista para duas horas de duração conforme informação disponível na grade de programação da televisão a cabo.  Em suma, uma homenagem à resiliência francesa frente à crise sanitária. 

Na tela, Emmanuel Macron e o general François Lecoindre se dirigiam em veículo militar através da avenida Champs Elysées em direção ao local onde estavam acomodadas as autoridades convidadas para o evento. 

As imagens começaram a ser projetadas com a presença da Guarda Republicana que percorriam a avenida Champs-Elysées, na direção da Praça da Concórdia em direção ao Arco do Triunfo.   Depois, dois pequenos grupos de militares portando tambores fizeram evoluções perante as autoridades  

Ali chegando, Macron deslocou-se à frente de cada um dos presentes, saudou-os com um movimento de respeito e foi para o local que estava reservado à sua acomodação.  Dali acompanhou todo o desfile militar previsto para a oportunidade. 

O ambiente voltou à normalidade depois da suspensão do desfile no ano anterior por causa da pandemia.   Havia tropas das mais diversas origens, com veículos os mais diversos, tudo em movimento e em obediência a rigorosos protocolos.

Ao fim e ao cabo, foi um desfile como há muito não se via.  Aviões e helicópteros, automóveis e mais de quatro mil soldados marchando encheram os olhos dos 25 mil pessoas, devidamente vacinadas, autorizadas a participar do evento e daquele púbico que acompanhava desde casa as imagens transmitidas pela televisão francesa.

O desfile intitulado A conquista do futuro tinha a ver com a necessidade de recuperar a economia francesa, de normalizar as atividades nacionais após um ano e meio de pandemia que provocou grandes perdas de vidas e de empregos na França de 2021.

Como piloto brevetado em 1963, eu fiquei à espera do sobrevoo da patrulha de aviões Dassault-Breguet Mirage 2000 e Dassault Rafales, programados para se apresentar na ocasião.   No momento aprazado, as aeronaves sobrevoaram a avenida dos Campos Elísios lançando fumaças em azul, branca e vermelha. 

Houve destaque especial para uma homenagem a Antoine de Saint-Exupéry, por ocasião dos 75 anos da divulgação do Pequeno Príncipe.

Para concluir, um coral de uma centena de jovens de escolas de grau médio sensibilizou a todos com uma apresentação de encerramento ao evento. 

Boa noite, leitor do blog!

FOTO ABAIXO: SYRACUSE, NOVA YORK, 1970

Ontem eu publiquei uma fotografia da rua da cidade onde eu estudei e que ficava localizada em frente à bookstore da Syracuse University.   

Ao comparar ambas as imagens o leitor pode avaliar o que é viver no Hemisfério Norte durante o Inverno.   É verdade que havia calefação em todas as residências mesmo porque é impossível para uma pessoa permanecer muito tempo exposto a um ambiente semelhante ao que aprece na foto abaixo. 

Muita neve, caminhões jogando sal às ruas, o “lamaçal” que se formava nas ruas e as dificuldades dos carros transitarem nas vias públicas.  

A FRANÇA E A CONQUISTA DO FUTURO NA ÉDITION SPÉCIALE 14 JULLIET 2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *