Porto Alegre, 19.07.2021, 18:10, o dia mais frio do ano

Post 01.01.58

01 INTERNACIONAL,  01 Conjuntura global, 58 Número de ordem do post

CANTINHO DA PANDEMIA.  Nos últimos dias eu tenho percebido que surgiram muitas informações relacionadas ao avanço da pandemia na França.   Eu decidi recorrer aos Le Monde e confirmar o que está acontecendo de concreto com relação à pandemia.

Ao acessar ao site do jornal eu me deparei com a seguinte manchete Covid-19 : le gouvernement envisage de nouvelles restrictions locales pour faire face à la «quatrième vague», ou, Covid-19: governo planeja novas restrições locais para lidar com a “quarta onda”.

Da matéria que eu li, eu fiquei com a impressão que se trata de uma volta ao passado recente.  O jornal trata de toque de recolher, de fechamento de restaurantes e da utilização de máscaras ao livre.  Por quê? 

Porque há uma explosão de novos casos de infectados no país.  De acordo com a mesma fonte, essa é a pauta da reunião do  Conselho de Defesa da Saúde do dia 21 de julho. 

CONJUNTURA GLOBAL:  O blog do FMI acabou de publicar uma matéria relacionada ao dimensionamento das oportunidade para um mundo pró crescimento e pós pandemia, de autoria de Geoffrey Okamoto.

Desde o início da pandemia, o apoio fiscal dos governos alcançou US$ 16 trilhões, correspondendo os maiores déficits desde a IIa Guerra Mundial

No mesmo período, o apoio monetário dos bancos centrais, US$ 7,5 trilhões, fizeram com que a liquidez injetada em 2020, correspondesse a um valor superior àquele introduzido no acumulado dos últimos dez anos imediatamente anteriores.

Se as autoridades não tivessem procedido dessa forma, estima-se que a recessão da pandemia teria uma dimensão três vezes superior ao que efetivamente aconteceu.

Finalmente, na percepção do estudo do FMI o que há à frente?  Em 2022 haverá mais vacinas e mais imunização resultando em reabertura das economias.  Nesse contexto cabe aos legisladores conceberem reformas para assegurar crescimento econômico.

O documento publicado no blog do Fundo Monetário Internacional tem um conteúdo maior, mas eu me preocupei em transmitir ao leitor os grandes números da ação global para recuperar a economia internacional e orientá-la para um futuro promissor.

Boa noite, leitor do blog!

FOTO ABAIXO: A TORRE DE BELÉM, 1968

A torre de Belém foi um dos primeiros lugares que eu visitei quando fui estudar em Lisboa no período 1968-69. 

Construída no período 1514-20, é contemporânea à época da descoberta do Brasil.  Ela combina a figura da imagem de uma torre medieval com uma versão moderna de defesa onde havia peças de artilharia. 

A Torre que serviu de defesa da entrada do Rio Tejo tornou-se, com o passar do tempo em uma obra que reunia um terraço, as salas do Governador e dos Reis, uma sala de audiências, uma capela e o que era um paiol para guarda de munições se transformou em uma masmorra.  

GRANDES NÚMEROS DA ESTRATÉGIA POSTA EM PRÁTICA PARA PRESERVAR A ECONOMIA GLOBAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *