Porto Alegre, 05.09.2021, 18:10 

Post 01.01.64

01 INTERNACIONAL, 01 Conjuntura Global, 64 Número de ordem

 

CANTINHO DA PANDEMIA:  A Moderna encaminhou um pedido de aprovação à Agência Europeia de Medicamentos para aplicar uma dose de reforço da sua vacina.

Outras empresas farmacêuticas também solicitaram autorização para levar adiante a terceira dose, mas a Agência Europeia respondeu que vai analisar a opção da dose adicional do medicamento. 

CONJUNTURA GLOBAL:   Nesses tempos de retomada da economia mundial, tudo que disser respeito à liquidez global, as taxas de câmbio e, em particular, ao comportamento do dólar norte-americano merece a elaboração de uma análise, mesmo que em caráter preliminar.

Pois, hoje eu acessei ao blog do FMI e encontrei uma matéria de maio próximo passado que se enquadra nos itens que eu especifiquei no parágrafo anterior.   

Refiro-me ao artigo intitulado A participação do dólar norte-americanos nas reservas mundiais cai ao nível mínimo dos últimos vinte e cinco anos, de autoria de Serkan Arslanalp e Chima Simpson-Bell.

O FMI mantém uma pesquisa a respeito da Composição das Reservas Oficiais de Divisas, e que informa que o nível de dólares por parte dos bancos centrais.    Pois essa pesquisa dá conta que o referido patamar encontra-se em 59%, o menor nível no último quarto de século.

O texto é acompanhado por um gráfico que mostra a participação e várias moedas – dólar, euro, iene, libra esterlina e outras moedas, incluindo o iuane, o dólar canadense e o dólar australiano – nas reservas mundiais de divisas, no período 1999-2020.

Observando, atentamente a figura percebe-se que apenas o dólar e o euro tem peso importante entre as opções existentes. 

O euro representava uma participação em torno de 20% em 1999, essa fatia no mercado cresceu até cerca de 30%, mas interrompeu o avanço nos anos seguintes a Grande Recessão de 2009 e voltou ao patamar de 20% no exercício de 2020.

O dólar, ao contrário, caiu de forma sistemática desde 1999 quando ocupava um patamar de 71% das reservas totais dos bancos centrais.   A última informação disponível, referente ao fim de 2020, mostrava o nível de reservas na casa dos 59%. 

Esses números evidenciam, segundo os autores, a queda na função do dólar na economia global.  Uma mudança no perfil das moedas podem afetar o mercado de bonos e de divisas.

É isso aí.  Boa noite, leitor do blog!

FOTO ABAIXO:  ANTIGA RUA CLARA, PORTO ALEGRE

Eu bati a foto abaixo da Rua General João Manoel há dois ou três anos.     Segundo a Wikipedia, no distante ano de 1715 essa via se chamava Rua Clara.

Quando eu cheguei em Porto Alegre eu ouvia falar nessa antiga denominação.   E ouvia, também, que havia um zum-zum que por baixo da João Manoel passaria um túnel que ligaria a avenida Mauá com a rua Washington Luiz, tudo no Centro Histórico de Porto Alegre.

AS RESERVAS EM DÓLARES NOS BANCOS CENTRAIS EM ÂMBITO MUNDIAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *