Porto Alegre, 24 de outubro de 2021

Post 02.01.59

02 Brasil, 01 Conjuntura econômica, 59 Número de ordem do post

CONJUNTURA ECONÔMICA:     Hoje eu escrevo um segundo post sobre a crise econômica que tomou conta do país há seis anos.  Nesse ínterim, está difícil o Brasil acertar o passo com a comunidade internacional.  

Henrique Meireles, criador do teto de gastos, afirmou que falta prática, experiência administrativa, ao ministro da Fazenda Paulo Guedes para conviver  com o Congresso.  

Hoje, Guedes concedeu uma entrevista ao lago do presidente Bolsonaro.  O ministro realizou uma veemente defesa do Auxilio Brasil.  A que custo? Uma pequena flexibilização do teto dos gastos.

O que Guedes se propõe é flexibilizar uma emenda constitucional, a de número 95, de 15 de dezembro de 2016, que alterou o Ato das Disposições Constitucionais transitórias, e que instituiu um Novo Regime Fiscal no país. 

É essa “pequena reformulação” que Paulo Guedes deseja.  Falando ao lado de Bolsonaro, isso significa que o primeiro Mandatário endossa a pretensão do seu “Posto Ipiranga”.

Ora, o Regime Fiscal que é o alvo de Guedes  diz respeito ao Orçamento Fiscal e da Seguridade Social da União com prazo de vigência de VINTE EXERCÍCIOS FINANCEIROS.  Não é pouca coisa, leitor do blog.

O teto de gastos implementou no país a fixação de limites individualizados para as despesas primárias do Poder Executivo, STF, STJ, CNJ, JT, JF, JM, JE, JDF e territórios no âmbito do Poder Judiciário, do Senado, Câmara, TCU no Poder Legislativo, do MPU e do CNMP e da DPU.

Pois são “só essas despesas primárias de todos esses órgão” que Paulo Guedes quer mudar.  Como disse Henrique Meireles, o rapaz não tem experiência.  Os investidores externos estão atônitos ao discurso daquele que chegou ao cargo porque defendia “os princípios liberais” .

Inacreditável, leitor do blog.  Boa noite!

FOTO ABAIXO:  PRÉDIOS ANTIGOS DA RUA DA PRAIA

Sempre que eu me desloco pelo Centro Histórico de Porto Alegre e eu me deparo com prédios antigos eu me conscientizo de como a Capital Gaúcha detinha uma beleza imensa em sua arquitetura urbana do passado.

A CRISE ECONÔMICA (2) PAULO GUEDES E O FURO DO TETO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *