Porto Alegre, 22 de novembro de 2021

Post 01.02.29

01 INTERNACIONAL,  02 Petróleo/commodities,  29 Número de ordem do post

CANTINHO DA PANDEMIA:  O setor do turismo europeu voltou a ser impactado em seus negócios à medida que o Centro de Controle e Prevenção e Doenças dos Estados Unidos informou que a Alemanha e a Dinamarca constam da lista dos países de alto risco para contágio da Covid19.

…  

MERCADO DO PETRÓLEO:  Embora alguns analistas acreditam que as commodities já chegaram no seu teto, outros creem que isso deve acontecer apenas no segundo semestre do próximo ano. Por isso eu acredito que é conveniente estudar caso a caso. 

O caso desse post é o do petróleo.   Eu venho escrevendo sobre o comportamento recente dos preços do petróleo dos tipos Brent e WTI.   Nos últimos textos que eu escrevi sobre as cotações do barril elas estavam, visivelmente, subindo.  Como elas estão se comportando no presente momento?

No dia 25 de outubro próximo passado a cotação do barril do tipo Brent encontrava-se no patamar de US$ 85,99. De lá para cá, os preços se mantiveram acima de US$ 80,00 até o dia 17 de novembro, mas nas últimas 72 horas houve um recuo do preço para US$ 79,70, vigente no dia de hoje.

No dia 25 de outubro passado a cotação do barril do tipo WTI encontrava-se no patamar de US$ 83,76.    De lá para cá, os preços se mantiveram acima de US$ 80,00 até o dia 16, mas nas últimas 96 horas houve um recuo do preço para US$ 76,75, vigente no dia de hoje.

…    

O que eu tenho lido sobre o mercado internacional do petróleo é que há expectativa que as alterações no comportamento da oferta devem acontecer a partir do próximo ano.  Se essa perspectiva se confirmar, poderia haver uma mudança na trajetória das cotações do barril porque o avanço dos estoques começaria a pesar no equilíbrio do mercado da commoditie. 

As últimas informações do mercado dão conta que os Estados Unidos e a China vão liberar parte dos seus estoques no mercado para provocar uma queda dos preços.   

Esse aumento de oferta seria sincronizado e seria acompanhado por muitos outros países, inclusive o Brasil, fazendo com que o mercado tivesse que conviver com um incremento de 2,5 milhões de barris por dia a mais do que acontece hoje. 

Do lado norte-americano, o presidente Joe Biden já antecipou que deve provocar um incremento de 50 milhões de barris das reservas dos Estados Unidos.  A previsão é que essa comunicação à mídia deve acontecer amanhã e a origem da commoditie é a Reserva Estratégica de Petróleo do país.

Do lado da China, o presidente Xi Jinping fez uma comunicação semelhante, embora não tenha especificado quando das suas reservas serão liberadas.

Para encerrar, eu acredito à essa altura da recuperação da economia que é possível que tenhamos uma nova instabilidade no setor à medida que essa diminuição nas reservas se concretize e a economia global mantenha o ritmo de recuperação atual.

Boa noite leitor do blog!

FOTO ABAIXO:  GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL

Em Gramado e Canela tudo é muito lindo.   Eu passei a frequentar as duas cidades nos anos 80 quando foi realizado o Primeiro Festival do Turismo de Gramado.   

Durante o festival havia um seminário de dois dias em que a pauta estava voltada para o tema do turismo como atividade econômica.  Na oportunidade, eu fui distinguido com o convite para coordenar a primeira versão do evento.  Havia mais de duzentos participantes do país e do Exterior e o evento foi um sucesso.  Até hoje eu guardo em minha memória as imagens de toda aquela multidão no auditório do Hotel Laje de Pedra em Canela.

Eu bati a foto abaixo da Avenida Borges de Medeiros, a via principal de Gramado, quando eu visitei a cidade no mês passado.  

 

A EXPECTATIVA COM RELAÇÃO AO COMPORTAMENTO DOS PREÇOS NO MERCADO DO PETRÓLEO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *